ESEC de Caracaraí

General information

Taylor Nunes/Arquivo ICMBio
Caracaraí
Estação Ecológica
Federal
Proteção Integral
80.560 (Decreto - 87.222 - 31/05/1982)
1982
Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
Javascript is required to view this map.

Município(s) no(s) qual(is) incide a Unidade de Conservação e algumas de suas características

Municipality Population (IBGE 2007) Non-urban population (IBGE 2001) Urban population (IBGE 2001) State Municipality area (ha) CA area in the municipality (ha) CA area in the municipality (%)
Caracaraí 17981 6050 8236 RR 4.741.089 86.374 101.83 %

Pressões e ameaças

O desmatamento, as queimadas e a mineração industrial, são algumas das pressões que mais ameaçam as Unidades de Conservação. Veja abaixo dados atualizados sobre essas pressões nesta UC; para uma visualização comparativa entre as UCs mais desmatadas na Amazônia Legal, acesse o ranking dinâmico.

Para detalhes sobre a obtenção dos dados, acesse nossa nota técnica.

1690.54 ha

Mining

Requerimento De Pesquisa
SubstânciaProcessosÁrea incidente (ha)
Prata214800.73532
Total214800.73532

Characteristics

Characteristics

Histórico

Criada em 1982 a Estação Ecológica de Caracaraí é uma unidade de conservação de proteção integral que abrange uma área de 80.560 ha, com o objetivo preservar bancos genéticos da fauna e flora, bem como os recursos hídricos alí existentes, visto que é um lugar onde há grande frequência de inundações (IBAMA,2007).

A criação da unidade de conservação partiu do interesse do Dr. Paulo Nogueira Neto, ex- secretário do meio ambiente do governo federal, que sobrevoou a região por inúmeras vezes e acordou com a prefeitura de Caracaraí os limites da UC (NOGUEIRA-NETO, 1991). A prefeitura, com a intenção de evitar invasões na região e promover o abastecimento e expansão da cidade, destinaria parte da área da ESEC, ainda sem seus limites definidos, para o loteamento de pequenas chácaras (NOGUEIRA-NETO, 1991). Contudo, a condição para que a SEMA entregasse a parte da área da ESEC à prefeitura seria que ela a compensasse com outra área próxima (NOGUEIRA-NETO, 1991). Assim, com a área recebida pela prefeitura foi criada a ESEC de Niquiá em 1985 e a ESEC de Caracaraí teve seus limites estabelecidos em 1982.

O nome da Estação deve-se ao município de Caracaraí, que na língua indígena (sic) significa "pequeno gavião", o qual ocorria na região em grande quantidade (IBAMA, 2007).

A ESEC, com mais de trinta anos de criação, não possui plano de manejo e conselho gestor até abril de 2015.

Localização

Localizada no município de Caracaraí, região central do estado de Roraima, a unidade de conservação faz contato em sua porção sudeste com o PARNA do Viruá, porção sudoeste com a ESEC de Niquiá e oeste com a Terra Indígena Yanomami.

O acesso à unidade é feito através da BR-174, de Boa Vista até Caracaraí, percorrendo-se aproximadamente 180 km e através dos rios Branco, Ajarani e demais cursos d´água.

Questão Fundiária

A ESEC apresenta problemas fundiários com relação aos assentamentos que estão dentro de seus limites; ao interesse por parte da prefeitura municipal de Caracaraí para a expansão da cidade; e ao interesse do exército que demanda a área para a realização de treinamentos.

Atrações

A principal atração é de observação da fauna e da flora, que é de grande importância para o ecoturismo da região (IBAMA, 2007).

Aspectos Naturais

Inserida completamente no bioma amazônico e na bacia do Rio Negro a unidade de conservação apresenta, no inverno, uma rica rede de drenagem, sendo o igarapé Água Boa o principal curso d'água, cortando o interior da ESEC transversalmente, no sentido norte-sul. Há duas estações climáticas bem definidas, com o inverno úmido (abril a outubro) e o verão seco (novembro a março). Possui o relevo plano e suas fitofisionomias são campinarana, contato campinarana-floresta ombrófila e contato floresta ombrófila-floresta estacional. A vegetação característica é a mata de transição com árvores altas (15 a 20 metros de altura), troncos finos e copas pouco desenvolvidas. Há vários estratos, nos mais altos grande parte dos galhos perdem as folhas na estação seca. Uma das espécies que integra o estrato superior é a seringueira (Hevea brasiliensis) (IBAMA, 2000). Com relação à fauna, a unidade apresenta o macaco-aranha como espécie ameaçada de extinção.

Pressões e Ameaças

Entre as pressões e ameaças que incidem sobre a UC há desmatamento desordenado, extração de madeira, implementação de pastagem, ocupação urbana do entorno e mineração. Com relação à ocupação no entorno da UC, existem os assentamentos: vicinal 2 do Ajarani, que se encontra com muitas áreas abandonadas e pouca atividade agropastoril; vicinais 1 e 2 do assentamento Água Boa, onde, apesar do maior número de famílias, os moradores têm uma relação amistosa com a UC, sendo as principais atividades realizadas - extração de madeira, em especial a Itaúba, caça, pesca e lazer desordenado no igarapé Água Boa (Plano de Prevenção e combate aos Incêndios Florestais da Estação Ecológica de Caracaraí, 2006).

Referências

NOGUEIRA-NETO; Paulo. Estação Ecológica de Caracaraí-Niquiá. Estações Ecológicas: uma saga de ecologia e política ambiental, Empresa das Artes, São Paulo, 101p., 1991.
Plano de Prevenção e combate aos Incêndios Florestais da Estação Ecológica de Caracaraí. Ibama e Centro de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais - Prevfogo, Caracaraí, Roraima, 2006.
ICMBio. ESEC de Caracaraí. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/biomas-brasileiros/amazonia/unidades-de-conservacao-amazonia/1910-esec-de-caracarai.html. Acessado em: abril de 2015.
IBAMA. Disponível em: www.ibama.gov.br. Acessado em: julho de 2007.
IBAMA. Disponível em: www.ibama.gov.br. Acessado em: 2000.

Observations

A área destinada ao uso do Exército, "Gleba Caracaraí" do projeto fundiário de Roraima, foi criada com o mesmo traçado da ESEC de Caracaraí. Faz limite com a TI Yanomami.

Em visita ao ISA/SP, em 14/11/2003, a Funcionária do Parque Nacional da Serra da Mocidade, Giovanna Palazzi, relatou que há muitos problemas na ESEC, que tem assentamentos dentro de seus limites e cuja área é reivindicada pela prefeitura municipal de Caracaraí para a expansão da cidade. Por outro lado o exército também quer a área para a realização de treinamentos (a UC abriga diferentes ecossistemas que favoreceriam tais treinamentos). Há um processo na procuradoria também de junção da UC com a ESEC Niquiá. Esta por sua vez está sendo alvo da pesca predatória, tráfico de peixes ornamentais e animais silvestres.


Physical Aspects

Superpositions with other Conservational Units, Indigenous Lands or Quilombos

Não pertinente.

Biomes

Biome % in the CA
Amazônia 100.00

Fitofisionomias

Vegetation (water courses excluded) % in the CA
Contato Floresta Ombrófila-Floresta Estacional 4.95
Contato Campinarana-Floresta Ombrófila 33.32
Campinarana 61.72

Watersheds

Watershed % in the CA
Negro 100.00
Pressures
Ocupação urbana do entorno
Desmatamento
Outros
Mineração/Garimpo
Extração de Madeira

Contacts

Endereço para Correspondência (Ibama):
Av. Bem Querer, nº 2337 - Bairro de São Francisco
CEP: 69360-000 - Caracaraí - RR
Telefax: (95) 3532-1462

Coordenadoria Regional (ICMBio): Caio Marcio Paim Pamplona
Endereço CR: Av. do Turismo, 1350 - Tarumã
CEP: 69041-010 - Manaus/AM
Tel: (92) 3613-3080
(92) 3232-7040
(92) 3303-6443
Email: cr.manaus@gmail.com


Juridical Documents

Document type Number Document action Document date Publishing datesort icon Observation Full document
Decreto 87.222 Criação 31/05/1982 01/06/1982 Cria a Estação Ecológica de Caracaraí (DOU 01/06/82).

Photos


comments powered by Disqus