Visita à Ilha Grande terá cobrança de ingresso

O Globo, Rio, p. 16 - 21/06/2016
Visita à Ilha Grande terá cobrança de ingresso
Primeira área de conservação do estado a ganhar PPP, balneário sofre hoje com falta de luz, saneamento e segurança

Selma Schmidt

O cabo reformado da PM Jovelino Ramos de Oliveira, de 81 anos, nasceu na Ilha Grande e trabalhou por três décadas no antigo Instituto Penal Cândido Mendes, até quase a implosão do presídio, em 1994. Bem de perto, ele tem visto o paraíso ecológico onde vive - com áreas remanescentes de Mata Atlântica, sete enseadas e 113 praias - superlotar de turistas e acumular problemas no dia a dia. Moradores se queixam de quedas constantes de energia, construções irregulares, despejo de esgoto em rios, lixo nas ruas, atividades comerciais desordenadas, segurança deficiente e até de um fenômeno recente: o aparecimento de bocas de fumo.
Diante desse cenário e da crise financeira que enfrenta, o governo resolveu levar adiante o projeto de implantar na ilha a primeira parceria público-privada (PPP) em área de conservação do estado. Ela leva em consideração estudos de consultorias jurídica, econômica, de comunicação e ambiental, que custaram cerca de R$ 2 milhões.
O futuro gestor privado dos 193 quilômetros quadrados e das quatro unidades de conservação da Ilha Grande vai, por exemplo, cobrar ingressos dos visitantes: entre R$ 40 e R$ 80 por uma semana, e cerca de R$ 15 por um dia. Ficarão isentos moradores e parentes de primeiro grau, crianças, idosos, beneficiários do Bolsa Família, pesquisadores e trabalhadores do local. A ilha deve passar a receber 500 mil turistas por ano, 50 mil a mais em relação a 2015, segundo o presidente da TurisAngra, Klauber Valente.
Entre outras atribuições, o concessionário terá que controlar os acessos pelos 17 cais e investir R$ 67 milhões em cem projetos (incluindo revitalização dos 12 quilômetros da Estrada Dois Rios-Abraão, patrulhamento ambiental, saneamento, reforma das ruínas do lazareto e do presídio), nos primeiros cinco anos da concessão de 25 anos.


Gestão privada ainda é motivo de polêmica no paraíso
Empresa deve assumir o controle do lugar em janeiro de 2018

O Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), com o esboço da PPP da Ilha Grande, será lançado mês que vem. Até junho de 2017, quando o edital da parceria for divulgado, o projeto será discutido e aperfeiçoado por meio de uma plataforma digital e de audiências com empresários e representantes de entidades.
- Pelo nosso cronograma, a empresa assume a gestão da Ilha Grande em janeiro de 2018. O seu desafio será de ordenamento para preservar um patrimônio - diz o secretário estadual do Ambiente, André Corrêa. - Se o projeto piloto der certo, pretendemos expandir as PPPs para outras unidades de conservação. Os parques da Costa do Sol (Região dos Lagos) e da Serra da Tiririca (Niterói) têm potencial para isso. ACESSO LIMITADO Bem antes do lançamento do PMI, a ideia de gestão privada da Ilha Grande, 5o distrito de Angra dos Reis, virou motivo de polêmica. Entre os descontentes, o presidente da TurisAngra reclama de o estado ainda não ter aberto negociação direta com a prefeitura e a comunidade:
- Não somos contrários à cobrança de taxa, nem ao controle de acesso. Mas o estado não pode determinar regras sem conversar com a prefeitura. A ilha não pode ser palco de testes.
Para Alexandre Oliveira, dirigente do Comitê de Defesa da Ilha Grande (Codig), o governo deveria iniciar o processo pelo controle do acesso, descartando inicialmente a gestão privada:
- Atualmente, todos ganham na ilha. Com a concessionária, os ganhos econômicos serão centralizados. Pode haver até a expulsão de comunidades tradicionais (caiçaras).
Vice-presidente da Associação dos Meios de Hospedagem da Ilha Grande e dono da pousada Recreio da Praia, Cesar Augusto dos Santos fala até em favelização:
- Temos dificuldade para conseguir mão de obra. Pessoas vão chegar de fora. Isso pode aumentar o processo de construção irregular e provocar a favelização de trechos da ilha.
Sobre o policiamento ostensivo na ilha, independentemente da PPP, continuará a cargo da PM.

O Globo, 21/06/02016, Rio, p. 16

http://oglobo.globo.com/rio/ilha-grande-tera-cobranca-de-entrada-numero-limitado-de-visitantes-19541567
UC:Parque

Related Protected Areas:

  • UC Ilha Grande (PES)
  •  

    As notícias publicadas neste site são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.

Our sites


Visit the other platforms developed by the Protected Areas Monitoring Program of the Instituto Socioambiental.

Support


This platform would not be possible without the help of our supporters.

Gordon and Betty Moore Foundation
 
© Todos os direitos reservados. Para reprodução de trechos de textos é necessário citar o autor (quando houver) e o site (Unidades de Conservação no Brasil/Instituto Socioambiental - https://uc.socioambiental.org) e data de acesso. A reprodução de fotos e ilustrações não é permitida. Entre em contato para solicitações comerciais de uso do conteúdo.