As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

Fundacao Vitoria Amazonica
10/11/2006
3a Assembleia Geral da Associacao dos moradores do Rio Unini (AMORU).

Assembléia Mobiliza Moradores do Unini

Entre 13 e 14 de novembro, a Associação dos Moradores do rio Unini (AMORU) estará promovendo, com o apoio da GTZ e da Multibrás da Amazônia, a 3ª Assembléia Geral da categoria. O evento acontecerá na Comunidade de Democracia, no rio Unini, e tem como objetivo principal escolher a nova diretoria da AMORU. Questões relacionadas à fiscalização do rio Unini, um dos pontos previstos na proposta de Acordo de Pesca para a região, e à criação da Reserva Extrativista (RESEX) do rio Unini também farão parte das discussões.

A Assembléia contará com a participação de 400 pessoas, dentre estas, representantes das 10 comunidades residentes no Unini, membros da Fundação Vitória Amazônica (FVA), do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), do Conselho Nacional dos Seringueiros (CNS), do Centro Nacional de Desenvolvimento Sustentado das Populações Tradicionais (CNPT)/IBAMA e uma represente de uma Reserva Extrativista do Ceará.

As RESEX são Unidades de Conservação de uso sustentável, cuja criação só pode ser viabilizada a partir do interesse dos moradores locais, categoria pensada por Chico Mendes, seringueiro e sindicalista que se tornou um mártir no combate à ganância dos desmatamentos indiscriminados e aos modelos produtivos pouco empregadores e concentradores de renda. Respaldando-se nesta prerrogativa, a AMORU propôs no dia 27 de fevereiro de 2004 a criação da RESEX/Unini.

As etapas para criação das reservas extrativistas são: a recepção da demanda por parte das comunidades, devidamente formalizada através de abaixo-assinado dos moradores, a visita técnica, a realização de levantamento sócio-econômico e laudo biológico, e a consulta pública. Até o momento, já foram realizadas as três primeiras etapas.