As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

Valor Economico, Internacional, p. A11
19/12/2016
Brasil protege aquem da meta

Brasil protege aquém da meta

Daniela Chiaretti

Criar áreas de proteção marinhas é um processo longo, caro e que não avança no Brasil. O esforço para na falta de informações científicas e entraves políticos criados por conflitos dentro do governo.
O Brasil tem 1,5% de áreas marinhas protegidas. A meta global, assim como a nacional, é chegar a 10% em 2020. Mas a mais recente área protegida criada, o arquipélago de Alcatrazes, de agosto, esperou 23 anos para sair do papel.
"Não temos instrumentos para ultrapassar os 5% de áreas protegidas nos próximos quatro anos. Chegaremos em 2020 com metade da meta, e isso se tivermos sucesso", diz Claudio Maretti, diretor de ações socioambientais e consolidação territorial do ICMBio.
Enquanto o Ministério do Meio Ambiente busca proteger a biodiversidade e a sustentabilidade dos estoques pesqueiros, o da Agricultura favorece a pesca industrial e a aquicultura. A Marinha, por sua vez, não quer restrições ao transporte e acesso militar. O setor energético teme travas ambientais à exploração do Pré-sal.

Valor Econômico, 19/12/2016, Internacional, p. A11

http://www.valor.com.br/internacional/4811495/brasil-protege-aquem-da-meta