As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

SEMA/MT - www.sema.mt.gov.br
22/07/2009
Comite de Gestao do Fogo se reune para discutir acoes de combate as queimadas

A Coordenadoria de Gestão do Fogo (CGF), da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), realiza na próxima quarta-feira (29.07), às 14h30, no Auditório do Parque Massairo Okamura, reunião de trabalho com o objetivo de discutir a implementação de ações de controle e repressão às queimadas e incêndios florestais, durante o período de estiagem.

Participarão da reunião técnicos da Sema das Superintendências de Biodiversidade, Educação Ambiental, Fiscalização, Monitoramento e Indicadores Ambientais, bem como as Assessorias Jurídica e de Comunicação.

Na pauta serão discutidas a Lei Estadual de Autorização da Queima Controlada e assuntos diversos. "Essa é a oportunidade de todos apresentarem sua colaboração para que possamos alcançar os objetivos estabelecidos no plano de ações de prevenção e combate as queimadas no Estado", explicou o coordenador de Gestão do Fogo (CGF), tenente coronel BM, Alessandro Borges Ferreira.

PLANO DE AÇÃO - O Governo do Estado de Mato Grosso tem promovido e implementado uma série de ações de prevenção, fiscalização e combate às queimadas e incêndios florestais, visando diminuir as incidências desses eventos adversos, que normalmente se agravam no período da estiagem.

O Plano Estadual de Ações para prevenção às queimadas e combate aos incêndios florestais em Mato Grosso de 2009, foi elaborado de forma a permitir o melhor direcionamento das ações de prevenção, preparação e resposta rápida de combate, na hipótese da ocorrência de incêndios florestais no território mato-grossense.

Assim, no Estado, o plano está focado não só para o período proibitivo de queimadas e de incêndios florestais - 15 de julho a 15 de setembro - mas também nas ações preventivas de sensibilização, multiplicação de responsabilidades dos municípios, áreas indígenas, áreas de conservação e assentamentos e, alinhado as metas propostas pela Agenda Governamental, favorecendo a integração e a articulação conjugada de ações entre os diversos entes governamentais em todos os níveis de governo, dando maior agilidade na prestação de serviços e colaborando, de modo geral, na redução da vulnerabilidade social, dos danos humanos, materiais, ambientais e conseqüentes prejuízos econômicos sociais cada vez mais crescentes relacionados aos efeitos dos incêndios florestais.

O Plano abrange todo o Estado de Mato Grosso, com 141 municípios, num total de 9.103.357,91 Km2 (nove milhões, cento e três mil, trezentos e cinquenta e sete e noventa e um quilômetros quadrados), com prioridade para as Unidades de Conservação Estaduais, as áreas de relevante interesse ecológico, bem como as áreas indígenas e florestais que coloquem em risco a segurança das pessoas, o meio ambiente e o patrimônio do Estado.

FOCOS - Em Mato Grosso, segundo dados do Inpe - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, desde o início do período proibitivo para queimadas (15 de julho), até esta quarta-feira (22.07), foram registrados no estado 808 focos de calor. Os municípios que mais queimaram foram Santa Rita do Trivelato (72) focos; Ipiranga do Norte (60); Campo Novo do Parecis (42); Itanhangá (37); Nova Maringá (36); Colniza (36); Peixoto de Azevedo (33); Tangará da Serra (30), Feliz Natal (29) e Brasnorte (29).

Em 2008, no mesmo período - 15 a 22 de julho -, foram registrados no Estado 1.260 focos e os municípios que apresentaram maior número de focos eram Tangará da Serra (100); Tapurah (91), Nova Maringá (86), Paranantinga (55), Barra do Bugres (52); Santa Carmem (42); Nova Bandeirantes (38) e Vera (36).