As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br/
17/01/2014
Concessao na Flona Jacunda tem planos de manejo aprovados

A empresa rondoniense Madeflona Industrial Madeireira, que venceu a concessão para realizar o manejo florestal num total de 87,7 mil hectares na Floresta Nacional (Flona) de Jacundá (RO), estima iniciar as atividades de extração sustentável no segundo semestre deste ano.

O primeiro passo já foi dado: o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) homologou em novembro e dezembro os dois planos de manejo apresentados pela concessionária, um para o uso sustentável de 55 mil hectares e o outro para 32,7 mil hectares.

A existência de dois planos se deve ao fato de a empresa ter vencido a concorrência para duas das três unidades que formavam o lote colocado em concessão pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB).

O Plano de Manejo é o principal documento de análise da área e de planejamento para as atividades florestais. Nele estão descritos os aspectos ambientais do local (solo, clima, fauna e flora, por exemplo), o zoneamento da unidade em locais de produção, além de estarem detalhadas as etapas e ações para a realização do manejo florestal, entre diversas outras informações.

Extração

O Plano de Manejo não autoriza, por si só, o início da extração de madeira na floresta. Como o manejo florestal ocorre em um sistema de "rodízio", em que apenas 1/30 da área total é manejada por ano, é necessário apresentar ao órgão ambiental o planejamento para a safra do ano por meio do Plano Operativo Anual (POA).

O POA traz, entre outros dados, o resultado do censo das árvores (inventário florestal a 100%) na unidade produtiva anual (UPA). A Madeflona identificou, mapeou e classificou cerca de 20 mil árvores com diâmetro acima de 40 centímetros em uma das UPAs. Este levantamento mostra as espécies existentes e sua localização, e é a base para planejar a extração. De cada hectare, poderão ser extraídos até 25 m³ de madeira, volume equivalente a cerca de quatro árvores.

Atualmente, equipes realizam o inventário florestal a 100% da outra área de manejo. Segundo o engenheiro florestal e responsável técnico da empresa, Evandro Muhlbauer, a previsão é terminar essa etapa em fevereiro.

Depois que os POAs forem aprovados, a empresa poderá iniciar a extração caso já tenha acabado o período de embargo (suspensão das atividades de produção devido à época de chuvas), que vai até 15 de maio.

Empregos verdes

As atividades desenvolvidas pela empresa já estão gerando a contratação de profissionais e serviços, e novos postos de trabalho serão abertos. "Em maio desde ano, a Madeflona fará a contratação de trabalhadores para integrar a equipe de exploração florestal, serão mais 40 trabalhadores", diz Muhlbauer. Ao longo do ano, haverá mais contratações para as áreas de construção de infraestrutura e desdobro da madeira na indústria. Os cargos vão requerer profissionais de nível superior, técnico entre outros.

A Floresta Nacional de Jacundá é a segunda floresta nacional no estado de Rondônia a abrigar uma concessão florestal federal, sendo precedida pela Flona do Jamari. Os contratos de concessão entre o SFB e a Madeflona foram assinados no Dia Mundial do Meio Ambiente, em 5 de junho do ano passado. "A concessão nos permite sonhar com uma produção de madeireira equilibrada e sustentável em larga escala na Amazônia", afirma.

http://www.icmbio.gov.br/portal/comunicacao/noticias/4-destaques/4603-co...