As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br
10/04/2012
Estudo da anurofauna e realizado no Parque Grande Sertao Veredas

Desde outubro de 2007 a analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Paula Leão Ferreira, desenvolve um levantamento da anurofauna em áreas no interior do Parque Nacional Grande Sertão Veredas. Espécies de sapos, rãs e pererecas que também são estudadas na área do entorno da unidade de conservação desde 2010.

Segundo Paula, qualquer conhecimento biológico é fundamental para o manejo adequado de qualquer unidade de conservação (UC). "No caso dos anfíbios é importante que seja estudada as comunidades em diferentes ambientes do parque para que sejam localizadas as espécies endêmicas do Cerrado e as raras, por exemplo. Desta forma poderão ser apontadas estratégias para locais possivelmente mais sensíveis ou mesmo avaliar impactos ainda recorrentes na unidade de conservação."

As coletas foram realizadas de acordo com a metodologia usual de coleta de dados de forma esporádica e, a partir de 2010, com frequência mensal no período chuvoso. Durante esta etapa foram visitados mais de 30 pontos de amostragem com foco na área de Minas Gerais, totalizando um registro de 45 espécies. Cerca de 204 espécies de anfíbios habitam o bioma Cerrado. A região do Parque Nacional Grande Sertão Veredas abriga quase um quarto deste total.

A partir das análises, fica clara a importância do Parque Nacional Grande Sertão Veredas para a conservação de anfíbios anuros. Algumas espécies registradas no estudo não foram observadas no interior da unidade, como Rhinella ocellata, Chiasmocleis albopunctata, Pseudis bolbodactyla, Leptodactylus mystaceus e L. sertanejo. Tal fato pode ser acreditado devido aos hábitos reprodutivos de algumas delas ou mesmo a possíveis baixas densidades populacionais de outras espécies no parque, dificultando o registro por busca ativa.

As espécies encontradas foram identificadas com base em artigos taxonômicos específicos, consultas a especialistas e coleções herpetológicas. Porém, algumas delas ainda permanecem com indefinições quanto ao nome específico. Espécies do gênero Pseudopaludicola provavelmente terão sua taxonomia resolvida apenas com dados moleculares, entretanto outras espécies podem ser descritas com base na morfologia e consultas às coleções e artigos, como Proceratophrys sp., Scinax sp. (gr. catharinae), Scinax sp. (gr. ruber) e Corythomantis sp.

Com relação à ocupação das diferentes paisagens da unidade, duas comunidades distintas podem ser agrupadas, diferindo significativamente quanto à composição de espécies: comunidades de riachos com mata de galeria e comunidades de lagoas marginais. As paisagens de veredas e campos em vazantes, onde existem as lagoas marginais, são melhor representadas na unidade de conservação do que as matas alagadas e riachos com matas de galeria. São nas matas de galeria e riachos temporários que se encontra a maior porcentagem de espécies relevantes para a conservação do Cerrado, sob o ponto de vista do endemismo e grau de ameaça de acordo com a International Union for Conservation of Nature (IUCN).

http://www.icmbio.gov.br/portal/comunicacao/noticias/20-geral/2757-estud...