As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - www.icmbio.gov.br
13/06/2008
Expedicao na Resex do Lago Capana Grande levantara dados sobre uso dos recursos naturais

Equipe do Instituto Chico Mendes está, desde o dia 24 de maio, em uma expedição na Reserva Extrativista do Lago Capanã Grande, no sudeste do Amazonas, para pesquisar e coletar informações sobre o uso de recursos naturais da flora, além de levantar indicadores socioambientais de saúde, renda e educação das sete populações tradicionais de ribeirinhos e índios que vivem na área. O fruto da expedição servirá de base para a construção do Plano de Monitoramento da reserva.

Ao longo do período de um mês de expedição técnicos do ICMBio farão o monitoramento do uso do solo e ocupação da paisagem, da água, do clima e um levantamento de fauna e flora. Os novos indicadores socioambientais incluirão também um levantamento de vivências comunitárias, com o registro cultural dos diferentes habitantes dessa parte da Amazônia.

Outra expedição está prevista para julho, como o objetivo de continuar o levantamento de dados sobre o uso de fauna tanto na reserva quanto no entorno, onde predominam terras indígenas. A reserva é constituída por florestas de solo firme, com presença menor de várzeas e um grande lago, cujo nome foi dado à unidade.

Devido a presença de atividades humanas, a pesquisa não poderia ser feita seguindo a metodologia utilizada em áreas de proteção integral, onde a presença de atividades humanas é restrita à visitação, pesquisas, educação, ações administrativas e de fiscalização.

O trabalho é desenvolvido por pesquisadores do ICMBio e por instituições de pesquisa da Amazônia. A pesquisa integra o Simbio (Sistema de Monitoramento da Biodiversidade), do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).

A Resex Capanã Grande está sendo pesquisada, nesse programa, juntamente com outras cinco unidades de conservação de proteção integral - o Parque Nacional da Serra do Divisor, o Parque Nacional do Jaú, a Reserva Biológica do Jaru, a Estação Ecológica de Maracá e a Reserva Biológica de Trombetas.

Para debater e criar um sistema adequado de pesquisa para essas unidades, a Diretoria de UCs de Uso Sustentável e Populações Tradicionais promoveu, em fevereiro, oficina com cientistas de diversas instituições brasileiras para definir a metodologia com indicadores para monitoramento da "sociobiodiversidade", sem deixar de considerar indicadores importantes já existentes para pesquisas em unidades de proteção integral. A Resex de Capanã Grande está sendo a primeira a ter esta metodologia aplicada.