As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br
26/10/2011
Extrativista recebe protecao do ICMBio e da Secretaria de Direitos Humanos

A Coordenação Regional do Programa de Proteção à Vida da Secretaria de Direitos Humanos (SDH), no Pará, incluiu nesta terça (25) o líder extrativista da Resex Riozinho do Anfrízio, Unidade de Conservação gerida pelo Instituto Chico Mendes no sudoeste do Pará, Raimundo Belmiro, entre os cidadãos a serem protegidos. Já estão em Altamira 8 policiais da Força Nacional para a proteção e segurança do líder extrativista por pelo menos 90 dias.

A Presidência do ICMBio, juntamente com a gabinete da Ministra do MMA se articularam para garantir a proteção e segurança do extrativista junto à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. A solicitação partiu da articulação do ICMBio com a Policia Federal e a Força Nacional durante as reuniões da Comissão Interministerial no Combate aos Crimes e Infrações Ambientais (CICCIA).

No perído de 09 de setembro a 16 de outubro Raimundo Belmiro recebeu a segurança de dois policiais sob supervisão da Coordenação Geral de Proteção Ambiental do ICMBio, que arcou com as despesas das diárias para a manutenção dos dois policiais.

Eram um investigador da polícia civil e um policial militar, disponibilizados pelos respectivos comandos da polícia do Estado do Pará, graças à articulação e apoio do ICMBio, além de analistas das unidades do Núlceo de Gestão Integrada do ICMBio em Altamira.

Histórico
Recentemente, no dia 22 de outubro, outro cidadão residente num assentamento próximo à Resex Riozinho do Anfrízio e Flona do Trairão e empresário do distrito de Miritituba, em Itaituba/PA, João Chupel Primo (João da gaita), foi assassinado em Miritituba/PA, depois de participar de uma reunião juntamente com Raimundo Belmiro, integrantes do Instituto Socioambiental - ISA e o Ministério Público Federal.

Na ocasião havia sido assinado um documento contendo uma série de denúncias sobre a grilagem de terras na região. Outro presidente de uma associação do assentamento local - Areia, lindeiro à Resex Riozinho do Anfrísio, Júnior José Guerra, também denunciante da grilagem de terra e da extração ilegal de madeira, também está ameaçado de morte, e já foi retirado das redondezas pela Polícia Rodoviária Federal.

A situação está muito tensa nas unidades de conservação da região da Terra do Meio e no entorno da BR 163. As ações e operações de fiscalização do ICMBio ao longo do 2o semestre deste ano, na Flona do Trairão, Rebio Nascente do Cachimbo e Resex Renascer, entre outras, envolveram apreensão da madeira, e de equipamentos e maquinários utilizados para a extração ilegal da floresta. A ação do ICMBio tem gerado efeito positivo no que se refere à proteção da floresta amazônica nas unidades de conservação.

Por outro lado, as ameaças de morte às lideranças das reservas extrativistas e outros cidadãos que denunciam o roubo de madeira têm se intensificado nos últimos dias. Essas ameaças se estendem também aos analistas ambientais do Instituto que estão seguidos durante as operações e nas cidades, como forma de tentar inibir as ações de combate ao roubo de madeira nessas regiões, considerado pelo Instituto ação de crime organizado, envolvendo políticos locais e outros de expressão nacional, empresários, policiais.

http://www.icmbio.gov.br/comunicacao/noticias/4-geral/2175-extrativista-...