As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

O Globo, Rio, p.19
11/03/2004
Ibama fecha boate em area de preservacao ambiental

Ibama fecha boate em área de preservação ambiental  Fiscais do Ibama, acompanhados por dois delegados federais, embargaram as atividades da Isla Vivo, uma boate que funciona na Ilha de Cunhambebe Mirim, em Angra dos Reis, por descumprimento de normais ambientais. Responsável pela boate, a FMR Empreendimentos foi multada em R$ 200 mil e proibida de promover novos eventos na ilha até que apresente alvará da prefeitura e licença ambiental da Feema. A ilha fica na Baía da Ribeira, a 30 minutos de barco do continente. A agente do Ibama em Angra Sylvia Chada disse que a ilha está situada na Área de Preservação Ambiental (APA) de Tamoios e é classificada pelo Ibama e pela Feema como Zona de Conservação da Vida Silvestre (ZCVS). Ela explicou que a empresa pode reverter a multa e o embargo se apresentar os documentos que não foram mostrados aos fiscais no sábado, quando ocorreu a interdição: — Não acredito que a Feema tenha dado licença para a boate porque a atividade não é compatível com o zoneamento da ilha — disse. Show de Jorge Benjor foi cancelado Além da falta de documentos, os fiscais multaram a empresa responsável pela boate porque foram construídos deques sobre costões rochosos; o lixo estava mal acondicionado, com risco de cair no mar; e vazava óleo de um gerador instalado num costão rochoso. Os responsáveis pela ilha disseram que as construções eram antigas, mas não apresentaram nenhuma licença. No dia da interdição estava previsto um show de Jorge Benjor, que foi cancelado. A Isla Vivo, que já foi Ilha Mandala e Ilha Chivas, é o principal ponto de encontro de turistas, principalmente jovens, que visitam Angra. Na ilha funcionam um centro de recreação durante o dia e uma boate à noite. Na baixa temporada, a casa só funciona às sextas-feiras e sábados.

O Globo, 11/03/2004, p. 19