As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br/
16/11/2015
ICMBio combate incendio na Chapada Diamantina

São cinco focos simultâneos. Brigadas têm apoio de voluntários

Vale do Lacrau (Ibicoara), Morro do Pai Inácio (na divisa entre Lençóis e Palmeiras), Morro Branco (Vale do Capão, em Palmeiras), Guiné e Três Barras (Mucugê) são as cinco localidades do Parque Nacional da Chapada Diamantina, unidade de conservação (UC) gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), na Bahia, que ainda registravam focos de incêndio na manhã desta segunda-feira (16).

O foco com mais tempo é o de Ibicoara, iniciado há 15 dias, próximo ao Campo Redondo, e que atualmente consome a região do Vale do Lacrau. O mais recente fica perto do povoado de Guiné e começou na noite de ontem (domingo, 15). Ainda não é possível determinar a área afetada pelas chamas.

Nesta segunda-feira, os 30 brigadistas contratados pelo ICMBio para atuar no parque encontraram situação mais favorável de combate aos incêndios florestais, com nebulosidade, aumento da umidade relativa do ar e da pressão atmosférica. Chuvas são aguardadas para os próximos dias toda a região.

A operação, comandada pela equipe do Parque da Chapada conta com o apoio do Corpo de Bombeiros do Estado da Bahia e da brigada Roseli Nunes (Prevfogo-Ibama). Os trabalhos foram reforçados com a chegada de sete brigadistas do Parque Nacional do Pau Brasil (Porto Seguro) e de um analista ambiental da Serra Geral do Tocantins.

Há ainda o apoio das brigadas voluntárias dos municípios de Lençóis (BRAL e BVL), Palmeiras (Vale do Capão, Barra e Tejuco), Mucugê (Barriguda), Piatã, Ibicoara (ACV-IB, Bicho do Mato e Radical Chapada), Barra da Estiva (Guerreiros) e Andaraí (CIFA), além de moradores das cidades da Chapada, a exemplo de Seabra, que se apresentam como voluntários.

"Agradecemos o apoio que temos recebido de todos, mas não podemos admitir para uma operação que envolve riscos a presença de pessoas sem treinamento adequado e sem equipamento de proteção individual (EPI)", explica o chefe interino do PNCD, Cezar Gonçalves. "Neste momento, pedimos às pessoas que nos ajudem de outras formas, como doando lanternas de cabeça para o ICMBio ou dando apoio logístico e material para as brigadas que nos auxiliam", acrescenta. (Veja abaixo os telefones de contato das brigadas voluntárias)

Segundo Cezar, o ICMBio também não está recebendo doação de alimentos para os brigadistas, tarefa que já vem sendo executada pelas prefeituras de Palmeiras, Lençóis e Andaraí. A Prefeitura de Palmeiras ainda auxilia na operação com um trator que fez aceiro próximo ao posto Palmeiras e ainda alargou a pista do pouso do município para receber as aeronaves emprestadas pelos governos federal e do Estado da Bahia.

O governo da Bahia cedeu dois aviões e um helicóptero, a mesma quantidade de aeronaves enviadas pelo Ministério do Meio Ambiente-Ibama. Cada aeronave tem capacidade de fazer até 16 lançamentos de 1,8 mil litros de água por dia.

VEJA COMO AJUDAR:

- Doando lanternas de cabeça ao ICMBio (75) 3332-2310 / 3332-2418
- Apoiando Brigadas Voluntárias:
Lençóis
BRAL (75) 99863-1918 Augusto ou ou (75) 99857-3161 Marta
BVL (75) 99870-8397 Jorginho
Palmeiras
ACV-VC (75) 3344-1087
Mucugê
Barriguda (75) 3338-7117

http://www.icmbio.gov.br/portal/comunicacao/noticias/4-destaques/7353-ic...