As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

Instituto Mamiraua - http://www.mamiraua.org.br
13/07/2015
Instituto Mamiraua monitora viveiros educativos

Educadoras ambientais do Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, estão monitorando os viveiros educativos construídos em comunidades da Reserva Mamirauá, com frequência mensal. No último sábado, dia 11 de julho, estiveram na Comunidade do Ingá, município de Uarini (AM), para acompanhar o crescimento das 600 mudas de espécies nativas plantadas com os moradores no final de junho, tais como louro-inamui, muiratinga, mulateiro, piranheira, tarumã e samaúma.

A atividade começou pela manhã. Os 15 estudantes da Escola de Ensino Fundamental Maria Celestina reuniram-se para acompanhar mais uma atividade didática que estimule o cuidado com o viveiro e sua importância ecológica. "A gente aproveita esse momento de monitorar o viveiro - o espaço físico - e faz atividades educativas com os alunos, pois o objetivo é que o viveiro possa se tornar uma ferramenta de educação ambiental com eles e o professor usar essas informações em sala de aula com conteúdos sobre sementes, germinação, plantio de mudas, dentre outros", disse Claudia Santos, educadora ambiental do Instituto Mamirauá.

O viveiro educativo foi idealizado e construído com a participação dos comunitários, com o objetivo de ser um ambiente de aprendizado coletivo. Nele, a proposta é incentivar o reconhecimento e a importância do território onde vivem, estimulando o uso sustentável dos recursos naturais. Possui 24 m² e um sistema de irrigação e captação de água da chuva. Também foram distribuídos materiais como regadores, peneiras e ferramentas. Os moradores das comunidades coletaram substratos e realizaram o plantio de mudas.

A ação faz parte do projeto "Participação e Sustentabilidade: o Uso Adequado da Biodiversidade e a Redução das Emissões de Carbono nas Florestas da Amazônia Central" -BioREC - desenvolvido pelo Instituto Mamirauá com financiamento do Fundo Amazônia.

Reunião em Uarini
Antes das atividades na comunidade, as educadoras ambientais, Claudia Barbosa e Eliane Neves, reuniram-se com o Secretário Municipal de Educação do Município de Uarini, Edvilson Lopes de Souza. Na oportunidade, discutiram novas ações em parceria com o Instituto Mamirauá para fortalecer a educação ambiental na área rural do município que fica na Reserva Mamirauá. Bem como discutir soluções para problemas encontrados na infraestrutura das escolas, para que os alunos tenham melhores condições de ensino e atendimento, principalmente nas comunidades de Nova Betânia, Barroso, Ingá e Sítio Fortaleza, onde foram construídos os viveiros educativos.

"Um dos objetivos da secretaria é estar sempre em busca de novas parcerias. E aquilo que vier a contribuir com o desenvolvimento da educação em Uarini, nós estaremos aptos a ajudar. Então, se o Instituto Mamirauá nos procura para uma parceria em um projeto, nós iremos colaborar. A dificuldade de ensino na zona rural é maior que na zona urbana, por isso, aquilo que for voltado para lá, como o projeto dos viveiros, tem que ter o nosso apoio", afirmou o secretário.

http://www.mamiraua.org.br/pt-br/comunicacao/noticias/2015/7/13/institut...