As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

O Globo, Rio, p. 15
03/10/2014
Justica Federal autoriza retomada das obras da estrada Paraty-Cunha

Justiça Federal autoriza retomada das obras da estrada Paraty-Cunha
Pavimentação de rodovia na Serra da Bocaina estava parada há 40 dias

Paulo Roberto Araújo

As obras de pavimentação da estrada-parque Paraty-Cunha, paralisadas há 40 dias, vão recomeçar na próxima segunda-feira. A Justiça Federal concedeu liminar, pedida pelo Ibama por meio da Procuradoria da União, que autoriza a retomada das obras. O trabalho, iniciado em maio do ano passado pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER), tem a supervisão de biólogos e veterinários da Uerj, para proteger a fauna do Parque Nacional da Serra da Bocaina. Dos nove quilômetros e meio da estrada, três já estão pavimentados. As obras foram paralisadas a pedido do Ministério Público Federal. A liminar foi concedida pelo desembargador federal Guilherme Couto de Castro.

INAUGURAÇÃO DEVE ATRASAR
O presidente do DER, Henrique Ribeiro, informou que já convocou as empreiteiras que estavam trabalhando na execução das obras para que retomem o trabalho. Na tarde desta quinta-feira, foi feita uma avaliação do estado da rodovia. A paralisação de 40 dias e o risco de chuvas nos próximos meses podem retardar a inauguração da estrada, prevista para janeiro de 2015. Ribeiro acredita que tudo fique pronto até abril.
- Tivemos sorte porque choveu pouco no mês de setembro na região. Na segunda-feira, já estarão trabalhando 80 homens. Em uma semana serão 270, número de trabalhadores que tínhamos lá quando as obras foram paralisadas. Os biólogos, os veterinários e demais técnicos da Uerj também foram reconvocados - disse.
Em sua decisão, o desembargador escreveu que "a suspensão da pavimentação da estrada Paraty-Cunha mostra-se, por ora, mais onerosa do que a manutenção das obras". Secretário-executivo do Conselho de Desenvolvimento Sustentável da Baía da Ilha Grande (Consig), Valdir Siqueira disse que a decisão da Justiça evitou um prejuízo maior para a rodovia:
- A decisão é da maior importância, pois a paralisação das obras poderia causar grande dano social, ambiental e econômico para o projeto da estrada-parque. Com a parada, o pessoal técnico da Uerj também deixou o trecho em obras. Felizmente, os prejuízos não foram grandes - disse Valdir Siqueira.
O prefeito de Paraty, Carlos José Gama Miranda, comemorou a decisão da Justiça:
Publicidade

- São 50 anos de espera. Não se trata de uma rodovia para percorrer, mas para ser visitada. É a primeira estrada-parque de fato do Brasil. Ela segue o Caminho do Ouro, que está sendo resgatado - disse o prefeito, acrescentando que já existem recursos da Eletronuclear para a conclusão das obras.
Técnico da Embraer, Reinaldo Brosler disse que usa a Paraty-Cunha há mais de 20 anos em seus deslocamentos, de jipe ou de moto, para o Rio:
- Este é o melhor caminho para os paulistas que buscam lazer no Rio e para os fluminenses da região de Paraty que procuram os hospitais e as universidades do Vale do Paraíba, em São Paulo.

O Globo, 03/10/2014, Rio, p. 15

http://oglobo.globo.com/rio/justica-federal-autoriza-retomada-das-obras-...