As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

WWF - http://www.wwf.org.br
14/04/2014
Moradores da Barra de Sao Manoel (AM) participam de oficina sobre turismo de base comunitaria

Com o objetivo de contribuir com a geração de renda dos moradores da Barra de São Manoel, uma comunidade ribeirinha situada em Apuí (AM), o WWF-Brasil promoveu, no mês de março, uma oficina sobre turismo comunitário naquele local.

O objetivo da oficina - que contou com cerca de 30 participantes - foi capacitar os moradores e permitir que eles explorem o turismo de base comunitária como uma opção de atividade econômica. A oficina também teve como finalidade dar início aos trabalhos relativos ao "uso público" do Parque Nacional (Parna) do Juruena, uma Unidade de Conservação que recebe apoio técnico e financeiro do WWF-Brasil.

Organização de comunidades

O turismo de base comunitária diz respeito a atividades e serviços ligados a comunidades que recebem visitantes. Muito mais que um "tipo" de turismo, o turismo de base comunitária é visto por vários especialistas como uma ferramenta ou um instrumento de organização das comunidades, que exige que as famílias se envolvam de forma ativa em todas as etapas do trabalho: no planejamento, na execução, na avaliação e no monitoramento das atividades.

A oficina foi realizada em parceria com a empresa paraense Estação Gabiraba, especializada em fomentar iniciativas de turismo comunitário por toda a Amazônia. Sua proprietária, a turismóloga Ana Gabriela Fontoura, foi a facilitadora e condutora dos trabalhos.

Segundo Ana Gabriela, a iniciativa reuniu cerca de 30 pessoas em dois dias de atividades. O primeiro dia foi dedicado à discussão das questões conceituais que envolvem o turismo de base comunitária, como os seus princípios e valores; já o segundo dia foi voltado à realidade da Barra de São Manoel, com o mapeamento de seus atrativos naturais, históricos e culturais; e a elaboração de propostas de roteiros e de planilha de custos.

Cachoeiras e festas

Durante as conversas, os comunitários indicaram 14 atrativos naturais (entre eles a Cachoeira do Roncador, a Cachoeira de São Simão, e o ponto de encontro entre os rios Teles Pires e Juruena, que a partir daquele trecho formam o Tapajós); e 10 opções de atrações culturais, como a Festa de São Sebastião, o artesanato local, a visitação a casas de farinhas e a realização de rodas de conversa dos turistas com a comunidade.

Ana Gabriela se mostrou otimista com este trabalho. "Vi que os comunitários estão muito interessados no que estamos propondo: a participação na oficina foi boa, eles entraram no clima de agir e fazer e se posicionaram sempre que foram solicitados. Acho que eles gostaram de sentir que, neste caso, estão à frente do trabalho, ajudando na sua criação e elaboração", explicou.

Questão prioritária

O analista de conservação do WWF-Brasil, Samuel Tararan, afirmou que a realização de oficinas como essa contribui com a consolidação de atividades geradoras de renda para as populações daquela área; e possibilita o uso sustentável dos atrativos naturais e culturais da região.

"A Barra de São Manoel está localizada entre o Parque Nacional do Juruena e as Unidades de Conservação do Mosaico do Apuí. E os planos de manejo dessas áreas indicam o desenvolvimento de ações de turismo comunitário como questões prioritárias para aquela área", explicou.

Samuel disse ainda que a iniciativa possui outro ponto importante: ela conta com a parceria do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (SDS-AM), e uma participação ativa dos gestores dessas Unidades de Conservação.

Próximos passos

Para dar continuidade a esta iniciativa, no início de junho o WWF-Brasil e a Estação Gabiraba vão promover um intercâmbio de experiências e informações entre os comunitários da Barra de São Manoel e os moradores de uma Reserva Extrativista do Pará.

Na ocasião, sete comunitários da Barra serão levados para a Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, em Santarém (PA), onde eles conhecerão um projeto de turismo comunitário desenvolvido há quase 10 anos.

Ainda como desdobramento deste trabalho, estão previstas, mas ainda não confirmadas, uma nova oficina na Barra de São Manoel no início do segundo semestre (cujo propósito e aprofundar as discussões feitas recentemente e refinar o roteiro elaborado pela comunidade); e levar, em outubro, o primeiro grupo de visitantes para lá já com as novas orientações e diretrizes tiradas dos debates que vem ocorrendo.
A Barra de São Manoel possui uma série de atrativos naturais e culturais, que foram listados por seus habitantes durante a oficina

http://www.wwf.org.br/informacoes/noticias_meio_ambiente_e_natureza/?394...