As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

Agencia Museu Goeldi - www.museu-goeldi.br
06/07/2010
Museu Goeldi aprova projeto para pesquisa de longa duracao em Caxiuana

O Museu Paraense Emílio Goeldi aprovou junto ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) um projeto de pesquisa dentro do Programa de Pesquisas de Longa Duração (PELD) para a Estação Científica da instituição, localizada na Floresta Nacional de Caxiuanã. O projeto será coordenado pelo pesquisador Leandro Valle Ferreira, da Coordenação de Ciências da Terra e Ecologia, em parceria com outros pesquisares do Museu Goedi e da Universidade Federal do Pará.

"Com a aprovação do projeto, pretende-se fortalecer a Estação Cientifica Ferreira Penna como sítio de pesquisa e colocá-la, definitivamente, como um dos locais estratégicos para o desenvolvimento de pesquisas em longo prazo na região amazônica", diz Leandro Ferreira. "E transformando Caxiuanã em um dos sítios mais importantes para o monitoramento da biodiversidade na Amazônia", completa.

O projeto visa desenvolver linhas de pesquisa integradas na Estação Científica Ferreira Penna em quatro eixos temáticos, são eles: avaliação de impactos antrópicos e simulação de "secas prolongadas" como efeito de mudanças globais; monitoramento da biomassa e dinâmica florestal; monitoramento ambiental em longo prazo; e educação ambiental e formação de recursos humanos.

Para começar - As atividades do projeto devem ser iniciadas a partir de agosto e o coordenador já prevê, pelo menos, duas dissertações de mestrado dentro do projeto e a realização de um curso sobre "Ecologia da Floresta Amazônica" a ser realizado na Estação Cientifica, também no segundo semestre.

"Assim que for possível, vamos iniciar as atividades para cumprirmos todas as etapas previstas, pois quando formos avaliados em 2013 teremos plena capacidade de renovação do projeto via edital do CNPq", conta Leandro Ferreira, lembrando que também serão formadas parcerias com outros órgãos públicos para a obtenção de recursos para a implantação do sitio Peld-Caxiuana.

O coordenador destaca ainda que tornar Caxiuanã um sítio dentro do Programa PELD poderá trazer ao Museu Goeldi ainda mais credibilidade para a realização de pesquisas na região amazônica, já que são poucos os locais na região que são sítios do Programa, confirmando a importância e o potencial da Estação a nível de pesquisa cientifica.

O PELD - Criado em 1996, sob a responsabilidade do MCT/CNPq, o PELD representa um programa estratégico para a consolidação de uma tradição nacional em pesquisa ecológica de longa duração, compondo a ação "Fomento à pesquisa e ao desenvolvimento sobre a composição e dinâmica dos ecossistemas brasileiros" do Programa Ecologia para a Gestão de Ecossistemas do Plano Plurianual (PPA) do Governo Federal.

O Programa PELD é vinculado ao Programa Integrado de Ecologia (PIE) e sua missão é promover a organização e a consolidação do conhecimento existente sobre a composição e funcionamento dos ecossistemas brasileiros, gerando informação e ferramentas para avaliar sua diversidade biológica. Trata-se de um programa pioneiro no país, que garante financiamento de longo prazo para pesquisa ecológica.

Os projetos são aprovados mediante Editais específicos, por um prazo de 10 anos, mas devem passar por um processo de renovação anual. O PELD é um programa de pesquisa ecológica induzida, cuja execução está centrada numa rede de "sítios selecionados" representativos de vários ecossistemas brasileiros. Atualmente, a rede PELD está composta por 12 sítios de pesquisa, representando os principais biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Pantanal, Mata Atlântica e Pampas.

Estação Científica Ferreira Penna - Localizada na Floresta Nacional de Caxiuanã, no município de Melgaço, a 350 km a oeste de Belém. A Estação foi inaugurada em 1993, com a finalidade de apoiar programas de pesquisa de curto, médio e longo prazos, do Museu Goeldi e da comunidade científica nacional e internacional.

Trata-se de uma área preservada, possuindo alguns dos ecossistemas naturais mais representativos da região amazônica, como a floresta de terra firme, igapó e várzea. Inúmeros projetos de pesquisa estão em desenvolvimento na Estação, que também apóia teses de mestrado, doutorado, cursos de campo, seminários e visitas orientadas.

http://www.museu-goeldi.br/sobre/NOTICIAS/2010/julho/06_07_2010.html