As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

Instituto Natureza do Tocantins - http://naturatins.to.gov.br/
07/05/2014
Naturatins participa da Agrotins e destaca a gestao Unidades de Conservacao

Mais uma vez o Instituto Natureza do Tocantins - Naturatins é um dos parceiros da Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins - Agrotins. Em sua 14ª edição, a feira começou na terça-feira, 06 e segue até sábado, 10. Com estande próprio, o órgão aproveita o momento para mostrar o que o Tocantins tem de melhor, suas riquezas naturais: os parques estaduais do Cantão, Jalapão e Lajeado e o Monumento Natural das Árvores Fossilizadas.

Durante os cinco dias de exposição, o visitante que passa pelo Natuatins recebe informações sobre as Unidades de Conservação, materiais de divulgação, conhece parte do trabalho desenvolvido pelas comunidades, como incentivo à sustentabilidade dos recursos naturais da região e ainda, os interessados, ganham mudas nativas, como murici e jatobá.

Parque Estadual do Cantão

Primeira unidade de conservação de proteção integral do estado do Tocantins, criada em julho de 1998, o Parque Estadual do Cantão (PEC) é uma das áreas protegidas mais importantes da Amazônia brasileira, além da sua grande riqueza biológica da região. Uma das suas peculiaridades é o fato de estar inserida em um ecótono entre o Cerrado e Floresta Amazônica, além de conter elementos representativos do Pantanal.

Com uma área de 90 mil hectares, esta unidade tem a missão de preservar uma amostra relevante do bioma amazônico no estado do Tocantins e, em parceria com as comunidades do entorno, promover atividades de pesquisa científica, turismo sustentável e educação ambiental.

Parque Estadual do Jalapão

Esta unidade representa um importante patrimônio ecológico nacional, uma vez que contém parcelas de cerrado preserva ecorregião do Cerrado com potencial de permitir a permanência de populaçdo e um grande número de mananciais de elevada importância para as bacias hidrográficas das Regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste. Nessa área concentra-se um dos poucos locais ainda bem protegidos em todaões de fauna e flora que estão sob intensa pressão em outros locais do país. Além desses atributos, suas peculiares belezas cênicas e paisagísticas, o consagram como uma das rotas de turismo ecológico no Brasil.

Sua área abrange mais de 158 mil hectares, e a missão é proteger e conservar importante e significativa área de Cerrado, com suas exuberantes paisagens, abundantes recursos hídricos e relevante biodiversidade, através da educação ambiental, ecoturismo e pesquisa científica, em harmonia com a comunidade, contribuindo para o desenvolvimento regional sustentável.

Parque Estadual do Lajeado

Imponentemente verde por conter a maior porção de cerradão preservada da região norte do Brasil, o Parque Estadual do Lajeado - PEL se ergue em paredões no horizonte de Palmas, abrigando sítios arqueológicos, cachoeiras, nascentes e animais silvestres. Criado em maio de 2001, a unidade está inserida dentro da Área de Proteção Ambiental - APA Serra do Lajeado, e possui características importantes para a manutenção do equilíbrio ambiental, como água em abundância e rica fauna regional. Com área 9.931 há, esta unidade tem a missão de proteger amostras dos ecossistemas da Serra do Lajeado, assegurando a preservação de sua flora, fauna e demais recursos naturais, características geológicas, geomorfológica, e cênicas, proporcionando oportunidades controladas para visitação, educação e pesquisa científica. Também tem a finalidade de proteger os mananciais que abastecem Palmas e coibir a expansão urbana nas encostas.

Monumento Natural das Árvores Fossilizadas - Mnaf

Há alguns milhões de anos o Tocantins abrigou uma floresta que hoje é considerado um dos maiores registros de vegetais fossilizados do mundo. Com a finalidade de proteger os fósseis, bem como combater a sua exploração ilegal, o governo do Estado criou em outubro de 2000 o Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins, que tem este nome em função da existência de sítios paleontológicos e arqueológicos na região.

Com área de 32.152,00 hectares de cerrado, o MNAF tem a missão de conservar os fósseis, as plantas, animais, e todos os seres que ali vivem, possibilitando sua reprodução segura, de maneira conjunta com o desenvolvimento da economia local. Além disso, recuperar locais de cerrado degradados, e combater aos desmatamentos ilegais e incêndios florestais, assegurando a conservação dos ecossistemas.

http://naturatins.to.gov.br/noticia/2014/5/7/naturatins-participa-da-agr...