As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - www.icmbio.gov.br
20/08/2009
Ribeirinhos discutem plano de utilizacao da Resex do Rio Xingu

Analistas ambientais do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), lotados nas unidades de conservação do Mosaico Terra do Meio, no Pará, coordenaram, entre os dias 7 e 9 deste mês, uma reunião para discutir com ribeirinhos da Reserva Extrativista (Resex) do Rio Xingu o Plano de Utilização da unidade.

Durante todo o dia de sábado (8), das 8h às 22h, a equipe apresentou as pautas que foram construídas pelos ribeirinhos e que embasaram a elaboração do Plano de Utilização. O objetivo era colher contribuições que seriam encaminhadas para Brasília, analisadas e futuramente acrescentadas à versão final do plano. Enquanto os pais participavam das discussões, os novos analistas ambientais desenvolveram atividades de recreação com as crianças da comunidade.

Entre os objetivos da reunião estavam apresentar o Plano de Utilização da Resex, fazer um mapeamento participativo; validar o cadastro dos moradores; apresentar parte do Plano de Manejo (outro documento de vital importância para a gestão da UC), além de apresentar as instituições participantes da reunião como o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM), Instituto Socioambiental (ISA) e Fundação Viver Produzir e Preservar (FVPP).

As principais colocações feitas pelos ribeirinhos foram: a criação de regras internas para utilização de instrumentos de pesca baseados na legislação vigente; de regras de convivência na comunidade; definição dos limites para utilização de recursos naturais e pesqueiros.

Outra importante demanda é da elaboração de estudos que mostrem as causas da diminuição de recursos naturais utilizados e que são importantes fontes de renda locais, como a castanha, a banana e pescados; além de estudos que tracem a demanda por políticas públicas para a região, como saúde e educação apropriados para populações tradicionais. A partir desses estudos serão feitas recomendações para a elaboração do Plano de Manejo da reserva.