As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - www.icmbio.gov.br
04/08/2009
Universidade paulista avalia estado de conservacao de imoveis dentro da Flona de Ipanema

Um grupo de cem alunos do curso de arquitetura da Universidade Paulista (Unip), campus Sorocaba (SP), faz o levantamento e estudo sobre as condições e o uso futuro dos imóveis da Vila São João de Ipanema, originalmente destinada à habitação funcional no interior da Floresta Nacional (Flona) de Ipanema, em Iperó (SP). O trabalho é coordenado pela professora Silvana Dudonis Vitorelo Iizuka.

O levantamento e estudo, devidamente inscritos no Sistema de Informação sobre a Biodiversidade (Sisbio), do Instituto Chico Mendes, que administra a Flona, indicarão o estado de deterioração dos imóveis, as construções que já não têm condições de uso e proporá soluções, dentro das necessidades de ocupação, seja administrativa, seja de habitação funcional, para a organização desse espaço, em atendimento ao Plano de Manejo da Flona, que está em processo de revisão.

Inserida em duas zonas, a de Uso Especial e a de Uso Intensivo, a Vila São João de Ipanema abriga o Viveiro de Espécies Florestais, o Centro de Visitantes, a sede da Brigada de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais, a Casa de Apoio dos Serviços Gerais, a Casa de Apoio da Coleta Seletiva, a Casa de Apoio dos Monitores Ambientais, a Casa de Apoio aos Pesquisadores, casas de hóspedes e imóveis funcionais, além de ter prédio cedido para a Prefeitura de Iperó, no qual está instalada a EMEIF D. Gláucia Aparecida Andrade Nogueira, imóvel cedido para a Igreja católica, e prédio da antiga usina de adubos superfosfatados, cedido para a Congregação do Brasil.

O levantamento da Unip permitirá que se conheçam as reais condições das construções da Vila São João de Ipanema. Os estudos servirão para organizar o espaço, permitindo a ocupação e a definição de uso de acordo com os objetivos do Plano de Manejo da Floresta Nacional de Ipanema. A definição de usos futuros permitirá que se conservem imóveis que tombados pelo Iphan, embora não estejam descritos na zona histórico-cultural.