Movimento quer preservação como necessidade de vida

A Tribuna - http://www.tribunatp.com.br/ - 15/07/2011
Dentro do movimento "Cuidar da natureza é cuidar da vida", a WWF-Brasil quer estimular as pessoas a incluírem em sua necessidade de viver o cuidado com os recursos naturais. Lançada no ano passado, a campanha "Para viver você precisa que a natureza também viva" é uma resposta a pesquisa feita pela organização em que perguntou "O que você precisa para viver?" e, entre as respostas, a ausência da necessidade de cuidar do meio ambiente.

Amor, amigos, sol, saúde e família foram as principais respostas da primeira etapa coletadas nas ruas, no Twitter, no Facebook e no Youtube. "A ausência da natureza nesse tipo de preocupação mostra a necessidade de valorização desse tema na opinião pública nacional", afirma Denise Hamú, secretária-geral do WWF-Brasil. "Esse processo de conscientização sobre o papel que a biodiversidade tem na vida é mais urgente do que nunca, pois não é exagero dizer que, vivemos uma crise de biodiversidade, que coloca em risco a saúde e meios de subsistência. Podemos reverter a situação, por isso a campanha pretende indicar soluções para a sociedade brasileira."

A resposta "Para viver você precisa que a natureza também viva" sustenta sua argumentação na manutenção dos serviços ecológicos, como o equilíbrio climático e a prevenção e recuperação de desastres ambientais; no uso direto da biodiversidade, como os recursos naturais que fornecem remédios, fibras e combustíveis para o bem-estar; na segurança de estoques de alimentos naturais como peixes, frutas e verduras; e no uso público, pois as áreas protegidas também podem ser fonte de lazer e aprendizado. Sem esquecer os benefícios econômicos, pois a biodiversidade é recurso do qual dependem famílias, comunidades e gerações futuras.

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO. Em tempos relativamente recentes, o mundo começou a perder espécies e habitats a velocidade alarmante. Na área de farmacologia, a estimativa é que entre 50 mil e 70 mil espécies vegetais sejam fontes de ativos para uso na medicina tradicional e moderna. A poluição, o uso excessivo dos recursos naturais e a expansão urbana e industrial levam muitas espécies à extinção. A cada ano, aproximadamente 17 milhões de hectares de floresta tropical são desmatados. Avaliações sugerem que, se esse ritmo se mantiver, entre 5% e 10% das espécies que habitam as florestas tropicais poderão estar extintas em 30 anos.

Por isso, ação diretamente ligada ao movimento da WWF-Brasil é a proposta de criação de unidades de conservação em dez áreas prioritárias. Estes espaços instituídos pelo poder público terão a finalidade de conservar as características naturais relevantes em cada área. A lista criada pelo WWF-Brasil é sugestão para o governo brasileiro alcançar, ainda em 2010, as metas de cobertura natural protegida por unidades de conservação estabelecidas pela Convenção sobre Diversidade Biológica da Organização das Nações Unidas (CDB).

Os focos são a Reserva Extrativista Baixo Rio Branco - Jauaperi (Amazonas), o Parque Nacional dos Lavrados (Roraima), o Parque Nacional Chapada dos Veadeiros (Goiás), o Parque Nacional Boqueirão da Onça (Bahia) e outras unidades no Cerrado do Amapá, no Tabuleiro do Embaubal (Pará), no Croa (Acre), no extremo Sudoeste do Pantanal e em Bertioga, São Paulo. No âmbito da CDB, o governo brasileiro se comprometeu a garantir a cobertura, por unidades de conservação, de 10% em cada bioma (conforme a área original) e de 30% na Amazônia. Hoje, somando as unidades existentes no País, ainda resta proteger 2,5% do território nacional em área terrestre e 8,5% em área marinha.




http://www.tribunatp.com.br/modules/news/article.php?storyid=9775
UC:Geral

Related Protected Areas:

  • UC Chapada dos Veadeiros
  • UC Baixo Rio Branco-Jauaperi
  • UC Lavrado
  • UC Boqueirão da Onça
  •  

    As notícias publicadas neste site são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.

Our sites


Visit the other platforms developed by the Protected Areas Monitoring Program of the Instituto Socioambiental.

Support


This platform would not be possible without the help of our supporters.

Gordon and Betty Moore Foundation
 
© Todos os direitos reservados. Para reprodução de trechos de textos é necessário citar o autor (quando houver) e o site (Unidades de Conservação no Brasil/Instituto Socioambiental - https://uc.socioambiental.org) e data de acesso. A reprodução de fotos e ilustrações não é permitida. Entre em contato para solicitações comerciais de uso do conteúdo.