RESEX no Pará reativam uso da borracha e inovam na produção

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br - 27/11/2012
As reservas extrativistas (Resex) Terra Grande-Pracuúba e Mapuá, na Ilha de Marajó, no Pará, entram na reta final de implementação do Projeto Encauchados Vegetais da Amazônia. No último fim de semana, foi feita a capacitação dos moradores das duas reservas que vão atuar nas unidades de produção do projeto.

A iniciativa vai beneficiar 60 famílias das comunidades de Umarizal, na Terra Grande Pracuúba, e Santa Rita, no Mapuá, que, além de fabricar os encauchados, vão poder comercializar os produtos, melhorando a sua renda. Assim, poderão utitilizar os recursos naturais de forma equilibrada e manter o modo de vida tradicional, sem destruir a floresta.

De acordo com a gestora da Resex Mapuá, Diana de Alencar, para se chegar à etapa final do projeto, que capacitou moradores e multiplicadores, foram feitos diversos contatos, apresentação e escolha das comunidades.

De 10 a 18 de dezembro, ainda segundo Diana, serão promovidas a montagem de estrutura física das unidades de produção e a última capacitação das comunidades, concluindo o processo de implementação do projeto. Com isso, será dado o primeiro passo para a reativação dos seringais das duas reservas, agora dentro de um novo modelo de produção.

O que é

Encauchados são produtos impemeabilizados com borracha. Os encauchados vegetais têm origem na cultura indígena da Amazônia. É uma técnica de impermeabilização de tecido com o uso do látex da árvore do Caucho (Castilloa ulei). Serve para a fabricação de uma série de produtos.

O processo foi assimilada pelos índios e seringueiros, especialmente na produção do saco encauchado, uma bolsa de algodão colorida e transparente (chita), impermeabilizada com a aplicação do látex do caucho e muito utilizada pela população local para viagens.

Atualmente, a produção dos encauchados de vegetais da Amazônia une o saber tradicional ao conhecimento científico. Os produtos são feitos por meio da vulcanização associada ao nanocompósito polimérico. Esse processo inovador permite a utilização de látex de diferentes espécies de seringueiras.

O Projeto Encauchados Vegetais da Amazônia prevê a produção e comercialização de derivados do látex pela própria comunidade. Têm o patrocínio do programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania e apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), com recursos provenientes dos fundos setoriais e do Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA).



http://www.icmbio.gov.br/portal/comunicacao/noticias/4-geral/3531-resex-no-para-reativam-uso-da-borracha-e-inovam-na-producao.html
UC:Reserva Extrativista

Related Protected Areas:

  • UC Mapuá
  • UC Terra Grande-Pracuúba
  •  

    As notícias publicadas neste site são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.

Our sites


Visit the other platforms developed by the Protected Areas Monitoring Program of the Instituto Socioambiental.

Support


This platform would not be possible without the help of our supporters.

Gordon and Betty Moore Foundation
 
© Todos os direitos reservados. Para reprodução de trechos de textos é necessário citar o autor (quando houver) e o site (Unidades de Conservação no Brasil/Instituto Socioambiental - https://uc.socioambiental.org) e data de acesso. A reprodução de fotos e ilustrações não é permitida. Entre em contato para solicitações comerciais de uso do conteúdo.