As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

O Globo, O Pais, p.13
16/04/2005
Ibama apreende madeira ilegal na Ilha de Marajo

Ibama apreende madeira ilegal na Ilha de Marajó
Reserva considerada intocada já tem 37 pontos de extração
Numa operação que durou nove dias, fiscais do Ibama apreenderam cerca de 1.100 metros cúbicos de madeira em toras extraídas irregularmente da Floresta Nacional de Caxiuanã, na Ilha de Marajó. A madeira apreendida, considerada nobre, seria exportada. Em tora, o valor da madeira ultrapassa R$150 mil reais. Depois de manufaturada, chega a US$700 mil (cerca de R$1,8 milhão). Os motoserradores recebiam no máximo R$20 pelas árvores mais grossas derrubadas.
A apreensão do material foi feita em área protegida por lei, mas a fiscalização mostrou que a floresta, considerada até pouco tempo atrás como intocada, está sob forte ameaça de madeireiras clandestinas.
Foram detectados 37 pontos de extração clandestina de madeira dentro dos 333 mil hectares de floresta e existem 14 áreas demarcadas para futuros projetos de exploração florestal no local. Um dos projetos, pertencente a Benedito Botelho Pontes, já está irregularmente dentro da reserva florestal.
— São projetos irregulares que ameaçam a integridade da reserva — disse Carlos Moura, chefe do escritório regional do Ibama, responsável pela fiscalização de Caxiuanã.

O Globo, 16/04/2005, p. 13