As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

Jornal do Mosaico, N 1,06/2007, Itamaraju - BA
14/06/2007
Mata Atlantica: por que cuidar?

A Mata Atlântica é uma formação vegetal originalmente brasileira e um dos biomas mais importantes do planeta, justamente por conta de sua alta biodiversidade. A área original desta floresta cobria 17% do território nacional em um trecho contínuo que seguia do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte, acompanhando quase todo o litoral brasileiro. Atualmente, resta, estimadamente, apenas 7% desta floresta em todo o território nacional, isto equivale a dizer que de cada cem árvores, sete restam em pé. Esta floresta tropical é uma das mais ameaçadas do globo e a que mais sofreu. Cerca de 135 milhões de pessoas no Brasil vivem em área de domínio de Mata Atlântica, que desempenha um papel de grande relevância. No Sul da Bahia pode-se encontrar um dos principais blocas florestais do Nordeste como: os Parques Nacionais do Descobrimento, do Monte Pascoal e do Pau Brasil. A RPPN Veracel, a ESEC do Pau-Brasil, a RESEC do Una e o Parque Estadual da Serra do Conduru. Essas áreas sobrevivem graças ao trabalho de instituições governamentais, não-governamentais, e de comunidades locais. Nesta região, habitam os Pataxós e pescadores tradicionais. Será proposta uma nova maneira de gestão do meio ambiente regional, uma ação conjunta entre setores do governo, ongs, e comunidades locais. Trata-se da gestão em Mosaico.