As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

www.to.gov.br/naturatins
28/03/2007
Naturatins inicia diagnostico em unidades de conservacao do Estado

A coordenadora das Unidades de Conservação do Naturatins Instituto Natureza do Tocantins, Marissônia Lopes, e uma equipe técnica do órgão realizam nesta quinta-feira, 29, uma visita ao Parque Estadual do Lajeado (PEL), localizado no entorno de Palmas.

O objetivo é fazer um diagnóstico das condições estruturais e de trabalho da unidade.

A mesma atividade também será realizada no Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins, município de Filadélfia, região Norte do Estado, nos dias 10 e 11 de abril; no Parque Estadual do Jalapão (PEJ), próximo a Mateiros, no final de abril; e no Parque Estadual Cantão (PEC), primeira unidade de conservação criada no Tocantins, no inicio do mês de maio.

Este trabalho de campo faz parte das novas estratégias adotadas pelo presidente interino do instituto, Major Marcelo Falcão, para o manejo e gerenciamento das Unidades de Conservação de Proteção Integral existentes no Tocantins.

Marissônia Lopes relatou que devido à chegada do período das queimadas, considerado critico, os técnicos que atuam na manutenção do Parque Estadual do Lajeado (PEL) realizarão nos próximos dias o aceramento (limpeza da vegetação) do entorno do parque. Paralelo a essa ação será realizado um trabalho de educação ambiental juntos aos produtores rurais vizinhos a unidade, para conscientizá-los dos riscos das queimadas sem autorização, bem como um levantamento das condições das trilhas e placas indicativas existentes no local. Após esse trabalho realizaremos campanhas para divulgar o PEL, afirmou.

A coordenadora informou ainda que, no Parque Estadual do Jalapão (PEJ), técnicos do Naturatins em conjunto com integrantes da Associação de Brigadistas de Mateiros também desenvolverão atividades educativas para sensibilizar as comunidades circunvizinhas sobre os prejuízos acarretados pelas queimadas indiscriminadas. Para isso serão realizadas palestras em escolas e associações.