As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - www.icmbio.gov.br
27/10/2009
Pesquisadores fazem registros fotograficos de duas harpias soltas no Parna do Pau-Brasil

Pesquisadores da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Estação Veracel fizeram o registro fotográfico das duas harpias (maior ave de rapina das Américas) soltas recentemente. A localização das aves, consideradas indicadoras de equilíbrio ambiental, é a prova de que as matas da região têm condições de abrigar um animal de topo de cadeia alimentar como elas.

A Katumbayá e a Pakayêrú, nomes indígenas pelos quais foram batizadas as harpias, foram avistadas às 10h e às 12h20, respectivamente, dentro do Parque Nacional do Pau-Brasil Parna) do Pau-Brasil, unidade de conservação federal gerida pelo Instituto Chico Mendes em Porto Seguro, Bahia.

A Pakayêrú se tornou a primeira harpia do mundo a retornar a seu habitat depois de viver 12 anos em cativeiro. Sua soltura foi realizada no dia 18 de agosto deste ano, numa das áreas de alto valor de conservação da Veracel, anexa ao Parna Pau-Brasil. Katumbayá retornou à natureza em maio de 2008, no Parna. As duas aves fazem parte do Projeto Harpia na Mata Atlântica e serão monitoradas via satélite durante os próximos três anos.

O Projeto Harpia na Mata Atlântica é financiado pela Veracel Celulose S.A. e desenvolvido de forma integrada pelos pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Amazônicas (Inpa), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Ibama, Associação Brasileira de Falcoeiros e Preservação de Aves de Rapina (Abfpar), SOS Falconiformes, Crax e RPPN Estação Veracel.

Ascom/ICMBio
(61) 3341-9280

Veracel
(73) 3166-8063