As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - www.icmbio.gov.br
09/09/2009
Biologo investiga a diversidade das formigas no Grande Sertao Veredas

Elas são quase imperceptíveis, trabalham como nunca, são organizadas, vivem em comunidades muito bem estabelecidas e, ainda por cima, são excelentes indicadoras da qualidade da biodiversidade de uma região. Elas, nesse caso, são as formigas, pequeninas representantes dos insetos, cujas características de vida são importantes para a natureza e para a ciência.

Pesquisadores como o biólogo Fernando Schmidt, doutorando em Entomologia, da Universidade Federal de Viçosa (MG), estão atentos à realidade dessas espécies. No momento, ele faz coleta de dados sobre as formigas no Parque Nacional Grande Sertão Veredas.

A pesquisa conduzida por Schmidt tem por objetivo estudar as comunidades de formigas em diferentes escalas espaciais e tipos de vegetação. Ele está testando hipóteses que poderiam explicar a variação da estrutura das comunidades de formigas em escala local, mesoescala e regional. O projeto prevê coletas em formações de Cerrado e Mata Atlântica.

Além do Parna Grande Sertão Veredas, Fernando Schmidt também está avaliando informações colhidas na Estação Ecológica do Panga, em Uberlândia, e na Reserva do IBGE, em Brasília, onde predomina o bioma cerrado. A Reserva Natural Vale, no Espírito Santo, Parque Estadual do Rio Doce, em Minas Gerais, e o Parque Estadual da Serra do Mar, em São Paulo, são os representantes da Mata Atlântica visitados pelo pesquisador.

"Ainda estamos numa fase muito incipiente do projeto, embora todas as coletas previstas já foram feitas. Porém, agora estamos catalogando os espécimes de formigas em alfinetes entomológicos. Posteriormente, faremos a identificação do material e devemos começar a analisar os resultados em seguida. Assim, no momento ainda é muito cedo para aferir algo sobre as comunidades amostradas," relata Schmidt.

Segundo o biólogo, as formigas, juntamente com os cupins, representam mais da metade da quantidade de insetos existentes no mundo. "Estes insetos desempenham uma infinidade de funções ecológicas nos ecossistemas em que estão presentes. Mas meu objetivo não é avaliar o papel ecológico deles e, sim, fatores responsáveis pela a diversidade de comunidades de formigas."

Schmidt acrescenta que os resultados desse estudo pode contribuir expressivamente para a conservação das áreas amostradas. "As informações poderão ser bom indicativo da biodiversidade desses locais," afirma.

Ele aproveita para agradecer o apoio que tem recebido do ICMBio. "Sou grato à equipe do Parque Nacional Grande Sertão Veredas, em especial à chefe Paula Leão, pela recepção e apoio durante as coletas. Os demais servidores também demonstram dedicação na conservação dos recursos naturais da unidade e recebem muito bem as equipes de pesquisa e demais pessoas interessadas pela natureza do cerrado e da região do Parna".