As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br
03/09/2012
Fogo atinge 5 unidades de conservacao ao longo da BR-163

Unidades de conservação (UCs) federais que ficam na região da rodovia BR-163 (Cuiabá-Santarém), entre Pará e Mato Grosso, enfrentavam até o final da tarde desta segunda-feira (3) incêndios florestais de médio porte (nível II), segundo o boletim divulgado pela Coordenação de Emergências Ambientais do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Os focos de incêndio se espalhavam da Reserva Biológica (Rebio) da Serra do Cachimbo até a Floresta Nacional (Flona) Trairão, passando pelo Parque Nacional (Parna) de Jamanxim e florestas nacionais de Itaituba II e II, numa faixa de terra em linha reta em torno de 300 quilômetros. O combate era feito em várias frentes por brigadistas do ICMBio, com o apoio do Ibama, Força Nacional, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.

Ainda segundo o boletim do ICMBio, incêndios de médio porte prosseguiam nos parques nacionais do Araguaia, em Tocantins, e das Nascentes do Rio Parnaíba, no Piauí. O fogo, nessas duas unidades, já dura quase duas semanas. Embora o combate seja incessante por terra e ar, com vários grupos de brigadistas e apoio de aeronaves, as chamas se propagam com muita rapidez, em função do tempo seco e fortes ventos.

De acordo com critérios técnicos, incêndios de nível I são de pequeno porte. Nesse caso, o combate é feito unicamente pelas brigadas da unidade. Os de nível II, médio porte, são incêndios maiores e exigem o apoio de parceiros em nível local ou regional. Já os de nível III são grandes incêndios. Para debelá-los, é preciso uma articulação de forças mais ampla, envolvendo a União, os estados e os municípios.

http://www.icmbio.gov.br/portal/comunicacao/noticias/4-geral/3266-fogo-a...