As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

OESP, Vida, p.A19
07/05/2005
SC se opoe a criacao de APAs

SC se opõe à criação de APAs
Áreas de proteção de araucária causam polêmica no Estado
Kazuo Inoue, especial para o Estado
O auditório do Centro Administrativo do governo de Santa Catarina estava lotado na manhã de ontem quando o governador Luiz Henrique da Silveira entrou na briga contra as propostas do Ministério do Meio Ambiente (MMA) de criação de áreas de preservação das araucárias. Aplaudido de pé, ele afirmou que "todos são favoráveis à proteção das araucárias", mas quer uma discussão ampliada e reorientada em favor do desenvolvimento econômico.
A audiência pública foi realizada a pedido do MMA, após o cancelamento do encontro marcados para o dia 26 de abril, nos municípios de Abelardo Luz e Ponte Serrada, no oeste catarinense.
O encontro foi aberto pelo secretário de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, João Paulo Capobianco, que fez um relato sobre todo o processo de elaboração dos projetos, que incluem, no Estado, o Parque Nacional das Araucárias, a Estação Ecológica da Mata Preta e a Área de Proteção Ambiental das Araucárias.
A senadora Ideli Salvatti (PT) destacou que foi do governo anterior a responsabilidade pela edição de duas portarias que, na prática, inviabilizam qualquer atividade nas áreas de proteção ambiental. Segundo ela, a ministra Marina Silva, aceitou discutir questões como o ajuste do perímetro e o que pode ou não ser feito nos limites das áreas de preservação.
Hoje resta menos de 1% da floresta de araucária primitiva.

OESP, 07/05/2005, p. A19