As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

A Tarde-Salvador-BA
29/09/2003
Ibama elege a Bahia area de risco

Satélite detecta 4 reservas com incêndios já fora de controle e 23 em situação de risco, segundo relatório do
instituto.
A Bahia está entre os Estados que um relatório do Programa de Prevenção de Fogo(Prev-Fogo) do Ibama considera em situação de risco pela ameaça de fogo, inclusive foi registrada alta onda de calor nas nascentes do Rio São Francisco, na Serra da Canastra, em Minas Gerais, conforme detectou o satélite Noaa-4, na última sexta-feira.

Ao todo, pelo menos 27 unidades de conservação florestal espalhadas por 14 Estados continuam com problemas de incêndio - quatro delas em alerta vermelho, o que significa que o fogo está fora de controle. Os casos mais graves são os da Serra da Canastra, em Minas Gerais, e da Ilha Grande, no Paraná.

Uma das situações mais difíceis enfrentadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é a do combate a focos de incêndio na área indígena no Parque Nacional do Araguaia, no Tocantins, onde a entrada das brigadas não tinha sido autorizada, o que só acabou acontecendo no sábado.

Pelo relatório do Prev-Fogo do Ibama, são os seguintes os Estados cujas reservas ambientais estavam em alerta amarelo - o que representa uma situação de risco: Acre, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Piauí, Rondônia, Sergipe e Tocantins. O satélite Noaa-4 detectou, na sexta-feira, a existência de focos de calor nos Estados. Alguns deles seriam vistoriados pelas equipes do Prev-Fogo para verificar a extensão dos incêndios.

ALERTA VERMELHO - Os principais problemas estavam ocorrendo, segundo o relatório, no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, uma das regiões de atrações turísticas e de preservação do País. Na Serra da Canastra, nascente do Rio São Francisco, em Minas, a situação também estava requerendo cuidado. O Ibama continuou mantendo o parque nacional ainda em alerta vermelho, já que não existia certeza do fim do incêndio no local. Na semana passada, um grande incêndio destruiu 70% do parque florestal do Jalapão, no Tocantins, a última reserva de cerrado do País.

No Estado, o Ibama estava encontrando dificuldades para combater o fogo no Parque Nacional do Araguaia, já que os índios javaés e carajás, da Ilha do Bananal, não queriam a presença das brigadas de incêndio. Depois de uma reunião no fim de semana entre o Ibama, Fundação Nacional do Índio (Funai) e instituições ambientais do Tocantins a situação foi resolvida. No primeiro balanço feito na região constatou que pelo menos 100 mil hectares dos 556 mil do Parque haviam sido destruído pelo fogo.

PREVENÇÃO NO RJ - No Parque Nacional de Itatiaia, no Rio, o Prev-Fogo manteve o alerta vermelho, apesar de ter controlado o incêndio ocorrido na semana passada. A medida foi tomada preventivamente até que não mais fossem localizados focos isolados de fogo na localidade de Alta Mirantão, considerada área de risco. O mesmo tipo de alerta foi mantido na Serra do Cipó, também em Minas, onde equipes do Ibama e Corpo de Bombeiros atuaram para apagar focos de incêndios.
(-A Tarde-Salvador-BA e Agência Estado-São Paulo-SP-29/09/03)