Reserva Biológica do Culuene

Área 3.900,00ha.
Document area Decreto - 1.387 - 10/01/1989
Legal Jurisdiction Amazônia Legal
Año de creación 1989
Grupo Proteção Integral
Responsible instance Estadual

Mapa

Municipios

Municipio(s) en que incide(n) la Unidad de Conservación y algunas de sus características

Municipios - REBIO do Culuene

# UF Municipality Población (IBGE 2018) Población no urbana (IBGE 2010) Población urbana (IBGE 2010) Área do Município (ha) (IBGE 2017) Área de la UC en municipio (ha) Área de la UC en municipio (%)
1 MT Paranatinga 22.246 4.475 14.815 2.416.244,40 3.900,61
100,00 %

Ambiente

Vegetación

Vegetación (cursos de agua excluidos) % en la UC
Savana 100,00

Cuencas hidrográficas

Cuenca hidrográfica % en la UC
Xingu 100,00

Biomas

Bioma % en la UC
Cerrado 100,00

Gestión

  • Management Agency: (CUCO) Coordenadoria de Unidades de Conservação
  • Clase del consejo: Consultivo
  • Year of creation: 2014

Documentos jurídicos

Documentos jurídicos - REBIO do Culuene

Tipo de documento Número Acción del documento Fecha del documento Fecha de publicación Observación Descargar
Decreto 1.387 Criação 10/01/1989 10/01/1989 Fica reservada para fins de criação da Reserva Ecológica Estadual do Culuene, a área de 3.900 hectares, localizada no Município de Paranatinga, para preservação da flora e da fauna matogrossenses, pois são altos os índices de redução da cobertura florestal, principalmente nas cabeceiras e nas margens dos rios e ainda com trabalhos de garimpagem desordenada que provocam o assoreamento dos rios.  
Portaria 723 Alteração de categoria 26/09/2011 26/09/2011 Fica recategorizada como Reserva Biológica a unidade de conservação atualmente denominada Reserva Ecológica estadual do Culuene.  
Portaria 622 Conselho 15/12/2014 18/12/2014 Cria o Conselho Consultivo Da Reserva Biológica do Culuene.  

Documento de gestión - REBIO do Culuene

Tipo de plano Año de aprobación Estágio Observación

Características

Histórico

A Reseva Biológica (Rebio) do Culuene foi criada pelo Decreto no 1.387, de 10 de janeiro de 1989. É uma unidade de conservação de instância estadual cujo órgão gestor é a Secretaria de Estado do Meio Ambiente de Mato Grosso. Possui uma área de 3.900 hectares localizados no município de Paranatinga, MT. A área da Rebio surgiu a partir do desmembramento da área maior denominada "Gleba Pantanalzinho" também de domínio do Estado de Mato Grosso (Mato Grosso, 1989).


A unidade de conservação foi criada primeiramente como Reserva Ecológica. A Portaria no 723, de 26 de setembro de 2011, recategorizou como Reserva Biológica para assim se enquadrar nas categorias presentes no SNUC.


Até agosto de 2018 a Rebio ainda não possuía plano de manejo.

O conselho consultivo estabelecido através da Portaria no 622, de 15 de dezembro de 2014 tem servido como fórum de gestão. Segundo a Secretaria do Estado do Mato Grosso a regularização fundiária da Rebio já foi realizada e é considerada como completa (Unidades de Conservação do Mato Grosso).



Localização

As águas servem de fronteira para a Reserva: localizada na porção sudeste do Estado, é limitada à esquerda pelo Rio Culuene, importante afluente do rio Xingu, e à direita, pelo córrego Rio Grande. A Rebio está inserida dentro da Bacia do Xingu.



Bioma e geomorfologia

Inserida na porção central do cerrado brasileiro, encontra-se no domínio macropaisagístico denominado Planalto dos Guimarães, depressão interplanática de Paranatinga e Província Serrana. Sua geomorfologia pertence ao Grupo Alto Paraguai: Formação Araras, Formação Raizana; Grupo Paraná, Formação Aquidauana e Formação Bauru.



Fitofisionomia e biodiversidade

Sua vegetação é formada por Cerrado Arboréo aberto com e sem Floresta de Galeria - constituído, assim, área de tensão ecológica de contato entre o Cerrado, a Floreta Estacional e a Floresta Estacional Semidecidual. As matas preservadas na reserva servem de abrigo para animais como o cervo (Blasteocerus dichotomus), cateto (Tayassy tajacu), paca (Agouti paca), capivara (Hydrochoerus hydrochaeris), onça-pintada (Panthera onca) e aves como: o pato-do-mato (Cairina moschata), garça (Casmerodius albus), arara-vermelha (Ara chloroptera), tucano (Ramphastos toco), dentre outros (SEMA, 2002).



Ameaças

Os principais problemas que afligem a região são as queimadas, a pressão provocada pela expansão da fronteira agropecuária, a contaminação do rio por agrotóxicos, além de o seu entorno estar altamente comprometido por propriedades particulares. Também vale dar destaque a Pequena Central Hidrelétrica Paranatinga II construída no Rio Culuene no Mato Grosso (SEMA, 2002).



Referências:
MATO GROSSO (Estado). Decreto Estadual No 1.387, de 10 de janeiro de 1989. Reserva área juriadição e domínio de Estado de Mato Grosso para fins de criação de Reserva Ecológica no Município de Paranatinga.
Unidades de conservação do Mato Grosso (SEMA) - http://www.sema.mt.gov.br/. Acesso em: 11 de março de 2015.

Contacto

Secretaria de Estado de Meio Ambiente - SEMA/MT
Rua C, esquina com a Rua F - Centro Político Administrativo
CEP: 78050-970 - Cuiabá - MT

Noticias

No hay noticias about this protected area en banco de datos