Área de Proteção Ambiental do Ibirapuitã (APA)

Área 318.000,00ha.
Document area Decreto - 529 - 20/05/1992
Legal Jurisdiction Domínio Mata Atlântica
Año de creación 1992
Grupo Uso Sustentável
Responsible instance Federal

Mapa

Municipios

Municipio(s) en que incide(n) la Unidad de Conservación y algunas de sus características

Municipios - APA do Ibirapuitã (APA)

# UF Municipality Población (IBGE 2018) Población no urbana (IBGE 2010) Población urbana (IBGE 2010) Área do Município (ha) (IBGE 2017) Área de la UC en municipio (ha) Área de la UC en municipio (%)
1 RS Alegrete 74.173 8.060 69.593 780.395,40 49.330,11
15,57 %
2 RS Quaraí 22.771 1.710 21.311 314.763,10 37.731,82
11,91 %
3 RS Rosário do Sul 39.535 4.777 34.930 436.964,90 51.495,06
16,25 %
4 RS Sant'Ana do Livramento 77.763 8.057 74.407 694.161,30 178.319,98
56,27 %

Ambiente

Vegetación

Vegetación (cursos de agua excluidos) % en la UC
Estepe 39,73
Savana Estépica 60,27

Cuencas hidrográficas

Cuenca hidrográfica % en la UC
Uruguai Internacional 100,00

Biomas

Bioma % en la UC
Pampa 100,00

Gestión

  • Management Agency: (ICMBIO) Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
  • Clase del consejo: Consultivo
  • Year of creation: 2001

Documentos jurídicos

Documentos jurídicos - APA do Ibirapuitã (APA)

Tipo de documento Número Acción del documento Fecha del documento Fecha de publicación Observación Descargar
Portaria s/n Instrumento de gestão - plano de manejo 31/12/1998 31/12/1998 Embora não tenha sido oficializado através de uma portaria ou algum instrumento normativo, o ICMBio considera o plano de manejo em anexo, segundo o site institucional acessado no dia 21/08/2014. Data acima fictícia (31/12/1998) (http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/biomas-brasileiros/pampa/unidades-de-conservacao-pampa/2233-apa-de-ibirapuita.html)  
Portaria 5 Conselho 10/11/2017 17/11/2017 Modifica a composição do Conselho Consultivo da APA do Ibirapuitã, no Rio Grande do Sul (Processo no 02127.001239/2017-52).  
Decreto 529 Criação 20/05/1992 21/05/1992 O Presidente da República, Fernando Collor de Mello, declara a Área de Proteção Ambiental Ibirapuita com o objetivo de garantir a conservação de expressivos remanescentes de mata aluvial e dos recursos hídricos ali existentes; melhorar a qualidade da vida das populações ali residentes através da orientação e disciplina das atividades econômicas locais; fomentar o turismo ecológico, a educação ambiental e a pesquisa científica; preservar a cultura e a tradição do gaúcho da fronteira, além de proteger espécies ameaçadas de extinção a nível regional. Perfaz uma área de aproximadamente 318.000 hectares e perímetro de 260 quilômetros.  
Portaria 24 Outros 28/04/2005 29/04/2005 Altera a natureza do do Conselho Deliberativo, que passa a ter caráter consultivo. -
Portaria 177 Conselho 04/12/2001 05/12/2001 Cria o Conselho Deliberativo da Área de Proteção Ambiental de Ibirapuitã (APA do Ibirapuitã), órgão integrante da estruura da Área de Proteção Ambiental de Ibirapuitã/RS, com a finalidade de construir para com o planejamento de suas ações, conforme disposições a serem estabelecidas pelo Regimento Interno. -

Documento de gestión - APA do Ibirapuitã (APA)

Tipo de plano Año de aprobación Estágio Observación
Plano de manejo 1998 Aprovado Embora não tenha sido oficializado através de uma portaria ou algum instrumento normativo, o ICMBio considera o plano de manejo em anexo, segundo o site institucional acessado no dia 21/08/2014. Data acima fictícia (31/12/1998) (http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/biomas-brasileiros/pampa/unidades-de-conservacao-pampa/2233-apa-de-ibirapuita.html)

Características

A APA está localizada na região sudoeste do Estado do Rio Grande do Sul abrangendo parte dos municípios de Alegrete, Quaraí, Rosário do Sul e Sant'Ana do Livramento, distante cerca de 600 Km da capital Porto Alegre. Ocupa uma superfície de aproximadamente 318 mil hectares que circunscreve o trecho superior da bacia do rio Ibirapuitã.

A área inclui formações campestres e florestais de clima temperado, distintas de outras formações existentes no Brasil. Além disso, abriga 11 espécies de mamíferos raros ou ameaçados de extinção e 22 espécies de aves nesta mesma situação. Há espécies de peixe endêmicas na bacia do rio Ibirapuitã e sete gêneros de cactáceas e bromeliáceas apresentam espécies endêmicas da região. A mata aluvial apresenta inúmeras espécies arbóreas de interesse comercial.

As principais pressões e ameaças da APA incluem a expansão da lavoura de arroz, caça furtiva, agrotóxicos, erosão, queimadas, desmatamentos, grandes distâncias e dificuldades de acesso, baixa densidade populacional, êxodo rural e substituição de práticas agrícolas.

O vale do rio Ibirapuitã, na porção centro-norte da APA, apresenta extensas áreas de florestas aluviais e de galeria bem preservadas, com grande valor de conservação. Este setor está ameaçado pela expansão das lavouras de arroz e pela construção projetada de barragens.
As formações campestres estão, no geral, bastante impactadas pela presença do gado e pelo fogo. Dois setores localizados nas faces noroeste e oeste apresentam grande fragilidade em função do relevo acidentado e da suscetibilidade à arenização.

Texto redigido e composto a partir das seguintes referências:
1. ICMBio - APA do Ibirapuitã. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/portal/unidadesdeconservacao/biomas-brasileiros/pampa/unidades-de-conservacao-pampa/2233-apa-de-ibirapuita.html. Acesso em 06/02/2020.

2. Plano de Manejo - APA do Ibirapuitã. Disponível em: https://uc.socioambiental.org/anexos/1609_20140821_161611.pdf. Acesso em 06/02/2020.

Noticias

No hay noticias about this protected area en banco de datos