ESEC de Caracaraí

General information

Taylor Nunes/Arquivo ICMBio
Caracaraí
Estação Ecológica
Federal
Proteção Integral
80.560 (Decreto - 87.222 - 31/05/1982)
1982
Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
Javascript is required to view this map.

Município(s) no(s) qual(is) incide a Unidade de Conservação e algumas de suas características

Municipality Population (IBGE 2007) Non-urban population (IBGE 2001) Urban population (IBGE 2001) State Municipality area (ha) CA area in the municipality (ha) CA area in the municipality (%)
Caracaraí 17981 6050 8236 RR 4.741.089 86.374 101.83 %

Pressões e ameaças

O desmatamento, as queimadas e a mineração industrial, são algumas das pressões que mais ameaçam as Unidades de Conservação. Veja abaixo dados atualizados sobre essas pressões nesta UC; para uma visualização comparativa entre as UCs mais desmatadas na Amazônia Legal, acesse o ranking dinâmico.

Para detalhes sobre a obtenção dos dados, acesse nossa nota técnica.

1723.16 ha

Characteristics

Characteristics

Histórico

Criada em 1982 a Estação Ecológica de Caracaraí é uma unidade de conservação de proteção integral que abrange uma área de 80.560 ha, com o objetivo preservar bancos genéticos da fauna e flora, bem como os recursos hídricos alí existentes, visto que é um lugar onde há grande frequência de inundações.

A criação da unidade de conservação partiu do interesse do Dr. Paulo Nogueira Neto, ex- secretário do meio ambiente do governo federal, que sobrevoou a região por inúmeras vezes e acordou com a prefeitura de Caracaraí os limites da UC (NOGUEIRA-NETO, 1991). A prefeitura, com a intenção de evitar invasões na região e promover o abastecimento e expansão da cidade, destinaria parte da área da ESEC, ainda sem seus limites definidos, para o loteamento de pequenas chácaras (NOGUEIRA-NETO, 1991). Contudo, a condição para que a SEMA entregasse a parte da área da ESEC à prefeitura seria que ela a compensasse com outra área próxima (NOGUEIRA-NETO, 1991). Assim, com a área recebida pela prefeitura foi criada a ESEC de Niquiá em 1985 e a ESEC de Caracaraí teve seus limites estabelecidos em 1982.

O nome da Estação deve-se ao município de Caracaraí, que na língua indígena significa "pequeno gavião", o qual ocorria na região em grande quantidade (IBGE, 2015).

A ESEC, com mais de trinta anos de criação, não possui plano de manejo e conselho gestor até abril de 2015.

Localização

Localizada no município de Caracaraí, região central do estado de Roraima, a unidade de conservação faz contato em sua porção sudeste com o PARNA do Viruá, porção sudoeste com a ESEC de Niquiá e oeste com a Terra Indígena Yanomami.

O acesso à unidade é feito através da BR-174, de Boa Vista até Caracaraí, percorrendo-se aproximadamente 180 km e através dos rios Branco, Ajarani e demais cursos d´água.

Questão Fundiária

A ESEC apresenta problemas fundiários com relação aos assentamentos que estão dentro de seus limites; ao interesse por parte da prefeitura municipal de Caracaraí para a expansão da cidade; e ao interesse do exército que demanda a área para a realização de treinamentos (*).

Aspectos Naturais

Inserida completamente no bioma amazônico e na bacia do Rio Negro a unidade de conservação apresenta no inverno uma rica rede de drenagem, sendo o igarapé Água Boa o principal curso d'água, que corta a ESEC transversalmente no sentido norte-sul. Há duas estações climáticas bem definidas, com o inverno úmido (abril a outubro) e o verão seco (novembro a março). Possui o relevo plano e suas fitofisionomias são Campinarana, Contato Campinarana-Floresta Ombrófila e Contato Floresta Ombrófila-Floresta Estacional. A vegetação característica é de árvores altas, troncos finos e copas pouco desenvolvidas, sendo a sorva (Malouetia dukei), a balata (Manilkara bidentata), a sumaúma (Ceiba pentandra), o buriti (Mauritia flexuosa), a buritirana (Mauritiela Aculeata), o açaí (Euterpe sp.) e algumas orquídeas e bromélias espécies predominantes da região (MMA, 2015). Com relação à fauna, a unidade apresenta o macaco-aranha (Ateles belzebuth) como espécie ameaçada de extinção (ICMBio, 2015).

Pressões e Ameaças

Entre as pressões e ameaças que incidem sobre a UC há desmatamento desordenado, extração de madeira, implementação de pastagem, ocupação urbana do entorno e mineração. Com relação à ocupação no entorno da UC, existem os assentamentos: vicinal 2 do Ajarani, que se encontra com muitas áreas abandonadas e pouca atividade agropastoril; vicinais 1 e 2 do assentamento Água Boa, onde, apesar do maior número de famílias, os moradores têm uma relação amistosa com a UC, sendo as principais atividades realizadas - extração de madeira, em especial a Itaúba, caça, pesca e lazer desordenado no igarapé Água Boa (Plano de Prevenção e combate aos Incêndios Florestais da Estação Ecológica de Caracaraí, 2006).

Referências

IBGE. Cidades - Roraima - Caracaraí. Disponível em: http://www.cidades.ibge.gov.br/painel/historico.php?lang=&codmun=140020&search=|caracarai. Acessado em: agosto de 2015.
ICMBio. ESEC de Caracaraí. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/b.... Acessado em: abril de 2015.
MMA. Cadastro Nacional de Unidades de Conservação. Relatório parametrizado da Estação Ecológica de Niquiá. Disponível em: http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exi.... Acessado em julho de 2015.
NOGUEIRA-NETO; Paulo. Estação Ecológica de Caracaraí-Niquiá. Estações Ecológicas: uma saga de ecologia e política ambiental, Empresa das Artes, São Paulo, 101p., 1991.
Plano de Prevenção e combate aos Incêndios Florestais da Estação Ecológica de Caracaraí. Ibama e Centro de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais - Prevfogo, Caracaraí, Roraima, 2006.
(*) Fonte: Comunicação equipe ISA com Giovanna Palazzi, funcionária do Parque Nacional da Serra da Mocidade, em 14/11/2003.

Observations

A área destinada ao uso do Exército, "Gleba Caracaraí" do projeto fundiário de Roraima, foi criada com o mesmo traçado da ESEC de Caracaraí. Faz limite com a TI Yanomami.

Em visita ao ISA/SP, em 14/11/2003, a Funcionária do Parque Nacional da Serra da Mocidade, Giovanna Palazzi, relatou que há muitos problemas na ESEC, que tem assentamentos dentro de seus limites e cuja área é reivindicada pela prefeitura municipal de Caracaraí para a expansão da cidade. Por outro lado o exército também quer a área para a realização de treinamentos (a UC abriga diferentes ecossistemas que favoreceriam tais treinamentos). Há um processo na procuradoria também de junção da UC com a ESEC Niquiá. Esta por sua vez está sendo alvo da pesca predatória, tráfico de peixes ornamentais e animais silvestres.


Physical Aspects

Sobreposições com outras Unidades de Conservação ou Terras Indígenas

Não pertinente.

Biomes

Biome % in the CA
Amazônia 100.00

Fitofisionomias

Vegetation (water courses excluded) % in the CA
Contato Floresta Ombrófila-Floresta Estacional 4.95
Contato Campinarana-Floresta Ombrófila 33.32
Campinarana 61.72

Watersheds

Watershed % in the CA
Negro 100.00
Pressures
Ocupação urbana do entorno
Desmatamento
Outros
Mineração/Garimpo
Extração de Madeira

Contacts

Endereço para Correspondência (Ibama):
Av. Bem Querer, nº 2337 - Bairro de São Francisco
CEP: 69360-000 - Caracaraí - RR
Telefax: (95) 3532-1462

Coordenadoria Regional (ICMBio): Caio Marcio Paim Pamplona
Endereço CR: Av. do Turismo, 1350 - Tarumã
CEP: 69041-010 - Manaus/AM
Tel: (92) 3613-3080
(92) 3232-7040
(92) 3303-6443
Email: cr.manaus@gmail.com


News

The news published here are searched daily in different sources and transcribed here as shown in the original location. The Instituto Socioambiental does not take any responsibility for errors or opinions published in those texts.

Juridical Documents

Document type Number Document action Document date Publishing datesort icon Observation Documento na íntegra
Decreto 87.222 Criação 31/05/1982 01/06/1982 Cria a Estação Ecológica de Caracaraí (DOU 01/06/82).


comments powered by Disqus