Floresta Estadual de Maués

Área 438.440,00ha.
Jurisdição Legal Amazônia Legal
Ano de criação 2003
Grupo Uso Sustentável
Instância responsável Estadual
Documento Decreto - 23540 - 19/07/2003

Mapa

Municípios

Município(s) no(s) qual(is) incide a Unidade de Conservação e algumas de suas características

Municípios - FES de Maués

# UF Municipality População (IBGE 2018) População não urbana (IBGE 2010) População urbana (IBGE 2010) Área do Município (ha) (IBGE 2017) Área da UC no município (ha) Área da UC no município (%)
1 AM Maués 62.755 26.405 25.831 3.999.106,70 415.175,32
94,69 %

Ambiente

Fitofisionomia

Fitofisionomia (cursos d'água excluídos) % na UC
Floresta Ombrófila Densa 100,00

Bacias Hidrográficas

Bacia Hidrográfica % na UC
Madeira 100,00

Biomas

Bioma % na UC
Amazônia 100,00

Gestão

  • Órgão Gestor: (SEMA-AM) Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas
  • Tipo de Conselho: Consultivo
  • Year of creation: 2010

Documentos Jurídicos

Documentos Jurídicos - FES de Maués

Tipo de documento Número Ação do documento Data do documento Data de Publicação Observação Download
Portaria 0191 Conselho 23/08/2010 14/09/2010 Aprova o regimento interno do Conselho Consultivo da Floresta Estadual de Maués.  
Decreto 002 Conselho 12/01/2010 26/01/2010 Portaria/SDS/N. 002/2010 Cria o conselho consultivo da FES de Maués.  
Portaria 046 Instrumento de gestão - plano de manejo 25/04/2012 23/05/2012 Aprova o Plano de Gestão da Floresta Estadual de Maués.  
Decreto 23540 Criação 19/07/2003 20/07/2003 Fica criada a FLORESTA ESTADUAL DE MAUÉS, localizada no município de Maués no Estado do Amazonas com os objetivos de promover o manejo de uso dos múltiplos recursos naturais, a manutenção e a proteção de recursos hídricos e da biodiversidade, a recuperação de áreas degradadas, a educação ambiental, bem como o apoio ao desenvolvimento sustentável das comunidades locais e do município de Maués. Possui uma área total aproximada de 438.440,32 hectares. Data de publicação do D.O. não conhecida.  
Retificação s/n Outros 01/06/2009 01/06/2009 Na Portaria No- 45/2005, de 28 de novembro de 2005, publicada no DOU 229, de 30 de novembro de 2005, que reconheceu a Floresta Estadual de Maués, localizada no Município de Maués, onde se lê: "...300 (trezentas) famílias de pequenos produtores rurais, leiase:... "620 (seiscentas e vinte) famílias de pequenos produtores rurais". -
Portaria 45 Outros 28/11/2005 30/11/2005 Reconhece a FES, código SIPRA AM0079000, com área de 438.440,32 ha, visando atender 300 famílias de pequenos produtores rurais, permitindo sua participação no Pronaf A. -

Documentos de gestão - FES de Maués

Tipo de plano Ano de aprovação Fase Observação
Plano de gestão ambiental 2012 Aprovado Aprovado segundo DOE AM (23/05/2012)

Sobreposições

Não existem sobreposições desta Unidade de Conservação com outras Áreas Protegidas.

Principais Ameaças

Desmatamento na Amazônia Legal

Este tema apresenta a análise dos dados de desmatamento produzidos pelo Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes), que mapeia somente áreas florestadas da Amazônia Legal. Os dados do Prodes não incluem as áreas de cerrado que ocorrem em muitas Unidades de Conservação no bioma Amazônia.

Focos de calor

Área de abrangência do ponto: um foco indica a possibilidade de fogo em um elemento de resolução da imagem (pixel), que varia de 1 km x 1 km até 5 km x 4 km. Neste pixel pode haver uma ou várias queimadas distintas, mas a indicação será de um único foco. Se uma queimada for muito extensa, será detectada em alguns pixeis vizinhos, ou seja, vários focos estarão associados a uma única grande queimada.

Total identificado de desmatamento acumulado até 2000: 10059 hectares
Total identificado de desmatamento acumulado até 2017: 12281 hectares

Características

ATRIBUTOS NATURAIS : Localiza-se no interflúvio Madeira-Tapajós e é limitada pelos rios Apocuitaua, Pacoval e Parauari. Grande parte da área é coberta por Floresta de Terra Firme, mas são também encontrados Igapós, Restingas e Campinas. Nestas, há "palhais" com predominância de palmeiras como o babaçu e o muru-muru. No alto Parauari, é bastante comum o afloramento de pedras.
BIODIVERSIDADE : Elevado número de espécies de peixes. O número de aves encontradas é altíssimo e, dentre os inúmeros grupos de primatas, pelo menos uma espécie é endêmica, o Mico mauesi (Sauim de Maués). A área é rica especialmente em espécies madeireiras como o pau-rosa (Aniba roseodora), maçaranduba (Manilkara huberi), jatobá (Hymenaea courbaril), ipê (Tabebuia sp T. impetiginosa - roxo - T. chysotricha - amarelo), louro (Licaria brasiliensis), gamela (Ficus sp.), muirapiranga (Brosimum paraense) e muiracatiara (Astronium lecoientei). Há também abundância de cipós. Entre as espécies oleaginosas, as mais encontradas são a andiroba (Carapa guianensis) e copaíba (Copaifera sp.). A área é rica em tabuleiros de quelônios.

INFRA-ESTRUTURA : 15 comunidades essencialmente extrativistas habitam a área. O principal produto é o guaraná (Paullinia cupana). Além do extrativismo, as comunidades trabalham em culturas de subsistência, principalmente mandioca (Manihot esculenta). O acesso pode ser feito por via aérea ou fluvial no trecho Manaus-Maués. Daí até a unidade o trajeto é feito de barco ou voadeira pelos rios Parauari e Apocuitaua.

SÓCIO-ECONOMIA : a principal atividade econômica é a agricultura, com mais de 460 pontos de cultivo. A criação de animais é a segunda atividade, sendo as aves e os suínos os mais encontrados. A pesca é abundante, tendo sido mapeados mais de 100 pontos de pesca na área. Os produtos extrativistas mais explorados são a madeira e os ovos de quelônios. Extrai-se também óleo de andiroba e copaíba, os sipós titica e o ambé, entre outros.
Cultivo de pomares com espécies nativas, produção de mel e a extração de barro para o feitio de fornos a lenha. Tem potencial para turismo de natureza e pesca esportiva.
(fonte: Unidades de Conservação do Estado do Amazonas. Manaus:SDS/SEAPE, 2007)

Distante 300 km de Manaus, a FES de Maués abrange uma área em que tradicionalmente são desenvolvidas atividades voltadas ao uso dos recursos vegetais não madeireiros, como o pau-rosa (aniba roseodora), a andiroba (carapa guianensis) e a castanha (bertolettia excelsa), e o cultivo de espécies nativas como o guaraná (paullinia cupana). O plano de manejo da FES de Maués precisa ainda ser elaborado. A UC é importante porque contribui para manter a diversidade genética de espécies vegetais e animais com potencial de manejo sustentável, e também porque faz parte do Corredor Ecológico Sul-Amazônico.
Com relação às suas características físicas, o clima caracterísitico da região é do tipo AM da Amazônia e subtipo AN de transição, quente e úmido. As chuvas são abundantes e regulares, ocorrendo com maiores freqüências no período de janeiro a julho e menores de agosto a dezembro, o chamado verão. Há uma rica diversidade de solos profundos e muito profundos, de bem a excessivamente drenados, bastante porosos, com pequena relação textural e pouca diferenciação entre os horizontes. Há uma vasta biodiversidade de flora e fauna, ainda que se observem áreas desmatadas por intervenção antrópica, convertidas em pastos ou pequenos plantios. (fonte: Áreas Protegidas do Estado do Amazonas - subsídios para a estratégia estadual de conservação da biodiversidade - 2003 / Documento IPAAM - 2003).

Contato

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e de Desenvolvimento Sustentável
Rua Recife, 3280, Parque Dez de Novembro
CEP: 69050-030 - Manaus - AM

IPAAM - Departamento de Gestão Territorial
Christina Fischer - Tel: (92) 3643-2305

Centro Estadual de Unidades de Conservação - CEUC (AM)
Av. Mário Ipiranga Monteiro, n° 3280 - Parque 10
CEP: 69050-030 - AM
Email: ceuc@ceuc.sds.am.gov.br
Tel: (92) 3642-4607
Site: http://www.ceuc.sds.am.gov.br

Notícias

Total de 35 notícias sobre a área protegida FES de Maués no banco de dados RSS

Ver todas as notícias dessa área protegida

 

As notícias publicadas neste site são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.