Parque Nacional de Sete Cidades

Área 7.700,00ha.
Document area Decreto - 50.744 - 08/06/1961
Jurisdição Legal Outros
Ano de criação 1961
Grupo Proteção Integral
Instância responsável Federal
Reserva Caatinga

Mapa

Municípios

Município(s) no(s) qual(is) incide a Unidade de Conservação e algumas de suas características

Municípios - PARNA de Sete Cidades

# UF Município População (IBGE 2018) População não urbana (IBGE 2010) População urbana (IBGE 2010) Área do Município (ha) (IBGE 2017) Área da UC no município (ha) Área da UC no município (%)
1 PI Brasileira 8.310 4.483 3.483 88.148,10 1.657,49
26,22 %
2 PI Piracuruca 28.703 8.307 19.246 236.921,00 4.663,18
73,78 %

Ambiente

Fitofisionomia

Fitofisionomia (cursos d'água excluídos) % na UC
Contato Savana Estépica-Floresta Estacional 59,70
Contato Savana-Floresta Estacional 40,30

Bacias Hidrográficas

Bacia Hidrográfica % na UC
Parnaiba Baixo 100,00

Biomas

Bioma % na UC
Caatinga 100,00

Gestão

  • Órgão Gestor: (ICMBIO) Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
  • Tipo de Conselho: Consultivo
  • Ano de criação : 2010

Documentos Jurídicos

Documentos Jurídicos - PARNA de Sete Cidades

Tipo de documento Número Ação do documento Data do documento Data de Publicação Observação Download
Portaria 126 Conselho 14/12/2010 17/12/2010 Art. 1o Criar o Conselho Consultivo do Parque Nacional de Sete Cidades, com a finalidade de contribuir com ações voltadas à gestão participativa, implantação e implementação do Plano de Manejo desta Unidade, bem como ao cumprimento dos seus objetivos de criação.  
Portaria s/n Instrumento de gestão - plano de manejo 31/12/1978 31/12/1978 Embora não tenha sido oficializado através de uma portaria ou algum instrumento normativo, o ICMBio considera o plano de manejo em anexo, segundo o site institucional acessado no dia 03/09/2014. Data acima fictícia (31/12/1978) (http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/biomas-brasileiros/caatinga/unidades-de-conservacao-caatinga/2133-parna-de-sete-cidades)  
Decreto 50.744 Criação 08/06/1961 08/06/1961 O Presidente da República Jânio Quadros, cria o Parque Nacional de Sete Cidades, no Estado do Piauí, com 7.700 hectares.  

Documentos de gestão - PARNA de Sete Cidades

Tipo de plano Ano de aprovação Fase Observação
Plano de manejo 1978 Aprovado Embora não tenha sido oficializado através de uma portaria ou algum instrumento normativo, o ICMBio considera o plano de manejo em anexo, segundo o site institucional acessado no dia 03/09/2014. Data acima fictícia (31/12/1978) (http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/biomas-brasileiros/caatinga/unidades-de-conservacao-caatinga/2133-parna-de-sete-cidades)

Sobreposições

Não existem sobreposições desta Unidade de Conservação com outras Áreas Protegidas.

Principais Ameaças

Não há informações cadastradas sobre o tema "Pressões e Ameaças".

Características

O Parque Nacional Sete Cidades contêm o tipo de vegetação Savana-Estépica Arborizada (florestas de babaçu) e as áreas de tensão ecológica Savana/Floresta Estacional e Savana Estépica/Floresta Estacional, sendo esta última tipologia a que apresenta a maior extensão protegida.
(Fonte: ANÁLISE HARMÔNICA DE SÉRIES TEMPORAIS DE DADOS MODIS COMO UMA NOVA TÉCNICA PARA CARACTERIZAÇÃO DA PAISAGEM E ANÁLISE DE LACUNAS
DE CONSERVAÇÃO - INPE / São José dos Campos / 2007)

O Parque Nacional de Sete cidades protege importante formação geológica, além de conservar nascentes perenes de água numa área carente desse recurso. O Parque tem nos monumentos geológicos sua grande atração. Possui ainda em algumas pinturas e inscrições rupestres.

Contato

Caixa Postal 35 - Rod. Min. Vicente Fialho,
64260-000 - Piripiri - PI
Fone: (86) 3343-1342 (86) 9422-6009

Contato: Francisco ou Jânia

Aberto à visitação pública (jan/2004)
Valor do Ingresso: R$ 7,00

Notícias

Total de 67 notícias sobre a área protegida PARNA de Sete Cidades no banco de dados RSS

Ver todas as notícias dessa área protegida

 

As notícias publicadas neste site são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.