Reserva de Desenvolvimento Sustentável Bararati

Área 113.606,00ha.
Jurisdição Legal Amazônia Legal
Ano de criação 2005
Grupo Uso Sustentável
Instância responsável Estadual
Documento Decreto - 24.813 - 25/01/2005
Mosaicos Apuí
Mosaicos Amazônia Meridional

Mapa

Municípios

Município(s) no(s) qual(is) incide a Unidade de Conservação e algumas de suas características

Municípios - RDS Bararati

# UF Município População (IBGE 2018) População não urbana (IBGE 2010) População urbana (IBGE 2010) Área do Município (ha) (IBGE 2017) Área da UC no município (ha) Área da UC no município (%)
1 AM Apuí 21.583 7.412 10.595 5.424.515,30 108.032,33
95,09 %

Ambiente

Fitofisionomia

Fitofisionomia (cursos d'água excluídos) % na UC
Floresta Ombrófila Aberta 100,00

Bacias Hidrográficas

Bacia Hidrográfica % na UC
Tapajos 100,00

Biomas

Bioma % na UC
Amazônia 100,00

Gestão

  • Órgão Gestor: (SEMA-AM) Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas
  • Tipo de Conselho:
  • Ano de criação :

Documentos Jurídicos

Documentos Jurídicos - RDS Bararati

Tipo de documento Número Ação do documento Data do documento Data de Publicação Observação Download
Decreto 24.813 Criação 25/01/2005 25/01/2005 Fica criada a RDS Bararati, com os objetivos de preservar a natureza, assegurar as condições e os meios necessários para a reprodução e a melhoria dos modos de vida e da qualidade de vida e exploração dos recursos naturais das populações tradicionais, valorizar, conservar e aperfeiçoar o conhecimento e as técnicas de manejo do ambiente, desenvolvido pelas populações tradicionais, dentre outros. Possui área aproximada de 113.606,429 hectares. parágrafo único: Ficam excluídas da RDS as áreas privadas cujas propriedades se comprovarem nos termos da lei.  
Portaria 211 Instrumento de gestão - plano de manejo 22/09/2010 27/09/2010 Aprova o Plano de Gestão do Mosaico de Unidades de Conservação do Apuí. Este plano foi considerado como plano de manejo para cada UC, além de instrumento de gestão do próprio mosaico. Isso porque, como o próprio plano afirma que "o primeiro desafio foi desenvolver uma base técnica e conceitual para integrar o planejamento das nove unidades de conservação e gerar um único plano de gestão para o Mosaico do Apuí. A equipe de planejamento definiu uma base conceitual para a integração das ações e gestão de toda essa área, entendendo que cada unidade de conservação corresponde na prática, a um pré-zoneamento de todo o mosaico do Apuí, como uma única unidade de gestão. Isso permitirá, entre outras coisas, corrigir erros na delimitação dessas unidades por falta de conhecimento adequado no momento da criação e, principalmente, evitará que ações de manejo em uma das unidades tenham efeitos negativos nas unidades vizinhas, respeitando a individualidade e os objetivos de cada uma das áreas.  

Documentos de gestão - RDS Bararati

Tipo de plano Ano de aprovação Fase Observação
Plano de manejo 2010 Aprovado Na figura de plano de manejo do Mosaico, ver situação jurídica.

Sobreposições

Não existem sobreposições desta Unidade de Conservação com outras Áreas Protegidas.

Principais Ameaças

Desmatamento na Amazônia Legal

Este tema apresenta a análise dos dados de desmatamento produzidos pelo Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes), que mapeia somente áreas florestadas da Amazônia Legal. Os dados do Prodes não incluem as áreas de cerrado que ocorrem em muitas Unidades de Conservação no bioma Amazônia.

Focos de calor

Área de abrangência do ponto: um foco indica a possibilidade de fogo em um elemento de resolução da imagem (pixel), que varia de 1 km x 1 km até 5 km x 4 km. Neste pixel pode haver uma ou várias queimadas distintas, mas a indicação será de um único foco. Se uma queimada for muito extensa, será detectada em alguns pixeis vizinhos, ou seja, vários focos estarão associados a uma única grande queimada.

Total identificado de desmatamento acumulado até 2000: 156 hectares
Total identificado de desmatamento acumulado até 2007: 285 hectares

Características

Esta unidade integra o Mosaico do Sul do Estado do Amazonas, que é composto por 9 unidades: Parques Estaduais do Guariba e do Sucunduri; Reservas de Desenvolvimento Sustentável Bararati e Aripuanã; Resex do Guariba; Florestas Estaduais do Sucunduri, do Aripuanã, do Apuí e de Manicoré, totalizando 2.467.243 ha. Contíguo aos Parques Nacionais do Juruena e dos Campos Amazônicos, num corredor de mais de 9 milhões de ha de áreas protegidas conhecido como Corredor Meridional de conservação da Amazônia. Região de forte pressão de desmatamento pela expansão da fronteira agrícola sobre a Amazônia brasileira.
ATRIBUTOS NATURAIS : A varidedade de habitats do mosaico, com florestas de terra-firme, florestas alagadas, campos rupestres, campinas e campinaranas, e a enorme beleza cênica proporcionada pelos saltos e corredeiras. Grande diversidade de espécies e paisagens. As corredeiras de Monte Cristo e os saltos do Rio Sucunduri estão entre as paisagens mais conhecidas pelo encanto atrativo. Na porção oeste do mosaico há a formação geológica Domo do Sucunduri, um aglomerado de pequenas serras em disposição concêntrica, um afloramento rochoso do Paleozóico numa região submetida a um curioso clima de monções.
BIODIVERSIDADE : Com uma das maiores biodiversidades da Amazônia, a região ficou famosa pela alta diversidade de primatas na região da bacia do Aripuanã. Atualmente são conhecidas mais de 13 espécies de primatas endêmicas da região. Outra particularidade é a presença de espécies do Cerrado, que ocorrem associadas às grandes manchas de campos e campinas, como as populações de cervo encontradas no Parque Estadual do Guariba. Inventários na porção oeste do mosaico revelaram a ocorrência de 850 espécies de árvores, 46 mamíferos, mais de 300 aves, 27 répteis, 30 anfíbios e aproximadamente 100 espécies de peixes.
SÓCIO-ECONOMIA : O Mosaico é composto por UCs de proteção e de uso sustentável, que viabilizam tanto a conservação quanto o desenvolvimento sócio-econômico da região. A região é rica em madeira, principalmente mogno e cedro, havendo também ampla ocorrência de copaíba, andiroba, castanha, pau-rosa entre outras. O turismo de aventura na natureza pode ser um grande atrativo.
(Fonte: Unidades de Conservação do Estado do Amazonas. Manaus:SDS/SEAPE, 2007)

Contato

IPAAM - Departamento de Gestão Territorial
Christina Fischer - Tel: (92) 3643-2305

Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável
Secretaria Executiva Adjunta de Projetos Especiais
Rita Mesquita (Secretária Adjunta) ou Maria do Carmo (Coordenadora do PGAI-AM)
Rua recife, nº 3280, Parque 10
Tel: (92) 3642-8807 / (92) 3642-4607
Site: www.sds.am.gov.br

Centro Estadual de Unidades de Conservação - CEUC (AM)
Av. Mário Ipiranga Monteiro, n° 3280 - Parque 10
CEP: 69050-030 - AM
Email: ceuc@ceuc.sds.am.gov.br
Tel: (92) 3642-4607
Site: http://www.ceuc.sds.am.gov.br

Notícias

Total de 10 notícias sobre a área protegida RDS Bararati no banco de dados RSS

Ver todas as notícias dessa área protegida

 

As notícias publicadas neste site são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.