Reserva Extrativista Ipaú-Anilzinho

Área 55.816,00ha.
Jurisdição Legal Amazônia Legal
Ano de criação 2005
Grupo Uso Sustentável
Instância responsável Federal
Documento Decreto - s/n - 14/06/2005

Mapa

Municípios

Município(s) no(s) qual(is) incide a Unidade de Conservação e algumas de suas características

Municípios - RESEX Ipaú-Anilzinho

# UF Município População (IBGE 2018) População não urbana (IBGE 2010) População urbana (IBGE 2010) Área do Município (ha) (IBGE 2017) Área da UC no município (ha) Área da UC no município (%)
1 PA Baião 46.416 18.327 18.555 375.830,00 56.124,95
100,00 %

Ambiente

Fitofisionomia

Fitofisionomia (cursos d'água excluídos) % na UC
Floresta Ombrófila Densa 100,00

Bacias Hidrográficas

Bacia Hidrográfica % na UC
Litoral PA 25,10
Tocantins 74,90

Biomas

Bioma % na UC
Amazônia 100,00

Gestão

  • Órgão Gestor: (ICMBIO) Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
  • Tipo de Conselho: Deliberativo
  • Ano de criação : 2010

Documentos Jurídicos

Documentos Jurídicos - RESEX Ipaú-Anilzinho

Tipo de documento Número Ação do documento Data do documento Data de Publicação Observação Download
Decreto s/n Criação 14/06/2005 15/06/2005 Cria a Resex Ipaú-Anilzinho com objetivo básico de proteger os meios de vida e a cultura dessas populações e assegurar o uso sustentável dos recursos naturais renováveis tradicionalmente utilizadospela população extrativista residente na área de sua abrangência.  
Portaria 111 Conselho 03/11/2010 04/11/2010 Cria o conselho deliberativo da RESEX.  
Portaria 1 Conselho 05/02/2016 19/02/2016 Modifica a portaria e a composição do Consultivo ou Deliberativo da Reserva Ex- trativista Ipaú Anilzinho no estado do Pará (Processo no 02122.000089/2015-48).  
Portaria 18 Outros 13/07/2006 19/07/2006 Incra reconhece a Resex IPAÚ-ANILZINHO, código SIPRA PA0050000, com área de 55.816,0001 ha, visando atender 600 famílias de pequenos produtores rurais. -

Documentos de gestão - RESEX Ipaú-Anilzinho

Tipo de plano Ano de aprovação Fase Observação

Sobreposições

Não existem sobreposições desta Unidade de Conservação com outras Áreas Protegidas.

Principais Ameaças

Desmatamento na Amazônia Legal

Este tema apresenta a análise dos dados de desmatamento produzidos pelo Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes), que mapeia somente áreas florestadas da Amazônia Legal. Os dados do Prodes não incluem as áreas de cerrado que ocorrem em muitas Unidades de Conservação no bioma Amazônia.

Focos de calor

Área de abrangência do ponto: um foco indica a possibilidade de fogo em um elemento de resolução da imagem (pixel), que varia de 1 km x 1 km até 5 km x 4 km. Neste pixel pode haver uma ou várias queimadas distintas, mas a indicação será de um único foco. Se uma queimada for muito extensa, será detectada em alguns pixeis vizinhos, ou seja, vários focos estarão associados a uma única grande queimada.

Total identificado de desmatamento acumulado até 2000: 14606 hectares
Total identificado de desmatamento acumulado até 2017: 18590 hectares

Características

A Reserva Extrativista é uma área utilizada por populações extrativistas tradicionais, cuja subsistência baseia-se no extrativismo e, complementarmente, na agricultura de subsistência e na criação de animais de pequeno porte, e tem como objetivos básicos proteger os meios de vida e a cultura dessas populações, e assegurar o uso sustentável dos recursos naturais da unidade.
Vegetação: Floresta tropical alterada com castanha do brasil, seringueiras, virola, massaranduba, bacuri e especies de madeira de lei. Mata secundária, constituída por capoeira e especies nativas. Vegetação típica de várzea, como açaí e palmeiras diversas, e áreas de pastagem.
Relevo: relevo de planície com pequena inclinação nas margens do tocantins, e áreas de várzea. Estão inseridos na Unidade morfoestrutural Planalto Rebaixado da Amazônia.
Solo: constituído principalmente por latossolo amarelo distrófico de textura média, solos concrecionários lateríticos indiscriminados distróficos e solos aluviais constituídos por solos distróficos e eutróficos, plintossolo distrófico e areias quartzosas.
Geologia: constituído por terrenos terciários da formação Barreiras e sedimentos quaternários sub-atuais e recentes.
Hidrologia: representada pela Bacia do Rio Tocantins. O rio Tocantins contorna o limite leste da Resex. nele desaguam os inúmeros igarapés que cortam a Resex, com destaque para o igarapé anilzinho, ipaú e Joana Peres. O rio Jacundá, outro importante igarapé da área e que marca o limite oeste da resex nasce dentro da UC e segue para norte saindo dos limites da Resex. Há ainda lagos, sendo o mais importante o lago do Patá, importante berçário para várias espécies, e lago Anil Grande, além de furos e braços de rio.
Tipo de recurso:
Pesca - três comunidades vivem da pesca na área da resex;
Produtos não-madeireiros - duas comunidades vivem da extração da castanha do pará, como atividade complementar à pesca. duas outras comunidade vivem da agricultura familiar e criação de bovinos, suínos e caprinos;
Fauna - todas as comunidades também utilizam caça para a alimentação. não há manejo de fauna;
Produtos madeireiros - as comunidades utilizam os produtos madeireiros para confecção de petrechos de pesca, construção de casas e cercas.
(Fonte: Cadastro Nacional de Unidades de Conservação. www.mma.gov.br. Última atualização: 25/09/2007. Acesso em: 09/04/2010).

Contato

Chefe da unidade: Sheyla da Silva Leão (DOU, nov/2010)

Endereço para Correspondência (Ibama):
Avenida Conselheiro Furtado, nº 1303, Batista Campos
CEP: 66035-350 - Belém - PA
Tel: (91) 3210-4700, 3210-4705, 3210-4709
Fax: (91) 3210-4708

Coordenadoria Regional (ICMBio): Fernando Barbosa Peçanha Junior.
Endereço CR: Av. Julio Cesar, 7060 - Valdecans
CEP: 66617-420 - Belém - PA

Notícias

Total de 26 notícias sobre a área protegida RESEX Ipaú-Anilzinho no banco de dados RSS

Ver todas as notícias dessa área protegida

 

As notícias publicadas neste site são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.