Parque Estadual do Rio Negro Setor Norte

Área 146.028,00ha.
Jurisdição Legal Amazônia Legal
Ano de criação 1995
Grupo Proteção Integral
Instância responsável Estadual
Documento Lei - 2646 - 22/05/2001
Corredor Central da Amazônia
Mosaicos Baixo Rio Negro

Mapa

Municípios

Município(s) no(s) qual(is) incide a Unidade de Conservação e algumas de suas características

Municípios - PES do Rio Negro Setor Norte

# UF Município População (IBGE 2018) População não urbana (IBGE 2010) População urbana (IBGE 2010) Área do Município (ha) (IBGE 2017) Área da UC no município (ha) Área da UC no município (%)
1 AM Novo Airão 18.974 5.224 9.499 3.780.525,70 146.721,50
100,00 %

Ambiente

Fitofisionomia

Fitofisionomia (cursos d'água excluídos) % na UC
Floresta Ombrófila Aberta 12,92
Floresta Ombrófila Densa 87,08

Bacias Hidrográficas

Bacia Hidrográfica % na UC
Negro 100,00

Biomas

Bioma % na UC
Amazônia 100,00

Gestão

  • Órgão Gestor: (SEMA-AM) Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas
  • Tipo de Conselho: Consultivo
  • Ano de criação : 2008

Documentos Jurídicos

Documentos Jurídicos - PES do Rio Negro Setor Norte

Tipo de documento Número Ação do documento Data do documento Data de Publicação Observação Download
Portaria 67 Conselho 12/06/2008 12/06/2008 Cria conselho consultivo.  
Portaria 146 Alteração de limites 09/09/2014 16/09/2014 Institui no âmbito do Centro Estadual de Unidades de Conservação - CEUC, Grupo de Trabalho (GT) do Conselho Estadual da Reserva da Biosfera (CERBAC) com objetivo de apoiar a construção e desenvolvimento das atividades da SDS/Ceuc, referentes à criação/redelimitação/recategorização na APA Margem Direita do Rio Negro Setor Puduari-Solimões e no PES Rio Negro Setor Norte como medida compensatória decorrente da instalação do Projeto Cidade Universitária da UEA.  
Portaria 28 Instrumento de gestão 27/02/2009 02/03/2009 Aprova o plano de gestão.  
Lei 2646 Alteração de limites 22/05/2001 22/05/2001 Altera os limites do Parque Estadual do Rio Negro, Setores Norte e Sul, e das Áreas de Proteção Ambiental, das Margens Esquerda e Direita do Rio Negro, criados pelos Decretos n.o 16.497 e n.o 16.498, de 2 de abril de 1995, e dá outras providências. O Parque Estadual do Rio Negro, Setor Norte, criado pelo Decreto n.o 16.497, de 2 de abril de 1995, passa a Ter 146.028 hectares.  
Decreto 16.497 Criação 02/04/1995 06/04/1995 Cria o PES do Rio Negro Setor Norte, com a finalidade de preservar os ecossistemas naturais englobados contra quaisquer alterações que os desvirtuem, destinando-se a fins científicos, culturais, educativos e recreativos (DOE 06/04/95 -

Documentos de gestão - PES do Rio Negro Setor Norte

Tipo de plano Ano de aprovação Fase Observação
Plano de gestão ambiental 2009 Aprovado Portaria SDS/2008

Sobreposições

Não existem sobreposições desta Unidade de Conservação com outras Áreas Protegidas.

Principais Ameaças

Desmatamento na Amazônia Legal

Este tema apresenta a análise dos dados de desmatamento produzidos pelo Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes), que mapeia somente áreas florestadas da Amazônia Legal. Os dados do Prodes não incluem as áreas de cerrado que ocorrem em muitas Unidades de Conservação no bioma Amazônia.

Focos de calor

Área de abrangência do ponto: um foco indica a possibilidade de fogo em um elemento de resolução da imagem (pixel), que varia de 1 km x 1 km até 5 km x 4 km. Neste pixel pode haver uma ou várias queimadas distintas, mas a indicação será de um único foco. Se uma queimada for muito extensa, será detectada em alguns pixeis vizinhos, ou seja, vários focos estarão associados a uma única grande queimada.

Total identificado de desmatamento acumulado até 2000: 717 hectares
Total identificado de desmatamento acumulado até 2012: 796 hectares

Características

ATRIBUTOS NATURAIS : Diversidade de ambientes incluindo igapós de mata aberta e os de mata mais alta. As matas de Campinarana ocupam as regiões interfluviais dos rios Puduari e Carabinani e possuem vegetação heterogênea. Há predominância de Matas de igapós, Campinaranas interfluviais e Matas de Terra Firme.

BIODIVERSIDADE : Composição florística variada. Algumas plantas como o açaí-chumbinho (Euterpe catingae - Arecacea) e o marajá-preto (Bactris sp - Arecacea) ocorrem de maneira pontual em alguns tipos de Campinarana. Nas Matas de Terra Firme há plantas de interesse econômico como a itaúba (Mezilaurus itauba - família Lauraceae) e o cipó-titica (Heteropsis flexuosa). A biota aquática apresenta grande diversidade de espécies que vão de peixes a algas. Há espécies como o pirarucu (Arapaima gigas) e o tucunaré (Cichla sp) - menos abundantes no rio Puduari. A mais alta diversidade é vista no grupo de insetos. Cerca de 30 espécies de abelhas e 100 de formigas. Mais de 200 espécies de aves, incluindo algumas raras, como Dromoccocys pavoninus, Nothocrax urumutum, Dolospingus friagilloides e Hemitriccus invratus.

INFRA-ESTRUTURA : Cerca de 30 famílias vivem no entorno do Parque, sendo as comunidades mais habitadas as do Castanho e Airão Velho, onde se encontram as ruínas da primeira cidade portuguesa no rio Negro, do séc. XVI. O principal acesso é por barco pelo Rio Negro.

SÓCIO-ECONOMIA : Atualmente boa parte das famílias residentes no Parque vive exclusivamente da agricultura, especialmente do cultivo da mandioca e banana. A maior parte da população residente é descendente de etnias indígenas. Anteriormente a pesca e a extração de cipó eram as principais atividades. Hoje vários produtos são extraídos na unidade, entre eles a sorva, seringa, a copaíba e a piaçava. destaca-se a exploração do cipó-titica e do cipó-timbó. O Parque recebe visitação turística em barcos de operadores de turismo, praticado ainda de forma pouco organizada.
(fonte: Unidades de Conservação do Estado do Amazonas. Manaus:SDS/SEAPE, 2007)

Distante 167 km de Manaus, o PES do Rio Negro - Setor Norte tem importância biológica muito grande para aves, biota aquática e invertebrados, e limita-se com o Parque Nacional do Jaú. Parte integrante do Corredor Ecológico Central da Amazônia, o PES Rio Negro Setor Norte teve seu Plano de Gestão aprovado em 2009. (fonte: Áreas Protegidas do Estado do Amazonas - subsídios para a estratégia estadual de conservação da biodiversidade - 2003).

Contato

Chefe da UC: Francisco Santos de Oliveira. (DOE AM 04/02/2011, pg.7)

IPAAM - Departamento de Gestão Territorial
Christina Fischer - Tel: (92) 3643-2305

Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável
Secretaria Executiva Adjunta de Projetos Especiais
Rita Mesquita (Secretária Adjunta) ou Maria do Carmo (Coordenadora do PGAI-AM)
Rua Recife, nº 3280, Parque 10 - Manaus-AM
Tel: (92) 3642-8807 / (92) 3642-4607
Site: www.sds.am.gov.br

Centro Estadual de Unidades de Conservação - CEUC (AM)
Av. Mário Ipiranga Monteiro, n° 3280 - Parque 10
CEP: 69050-030 - AM
Email: ceuc@ceuc.sds.am.gov.br
Tel: (92) 3642-4607
Site: http://www.ceuc.sds.am.gov.br

Notícias

Total de 34 notícias sobre a área protegida PES do Rio Negro Setor Norte no banco de dados RSS

Ver todas as notícias dessa área protegida

 

As notícias publicadas neste site são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.