RDS Mamirauá

Informações gerais

Josivaldo Ferreira Modesto
2009
Mamirauá
Reserva de Desenvolvimento Sustentável
Estadual
Uso Sustentável
1.124.000 (Decreto - 12.836 - 09/03/1990)
1990
Central da Amazônia
Amazonia Central
Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá
Deliberativo
2010
Javascript is required to view this map.

Município(s) no(s) qual(is) incide a Unidade de Conservação e algumas de suas características

Município População (IBGE 2007) População rural (IBGE 2001) População urbana (IBGE 2001) Estado Área do município (ha) Área da UC no município (ha) Porcentagem da UC no município (%)
Uarini 9859 6432 3822 AM 1.024.622 246.099 18.68 %
Tonantins 19090 10516 4996 AM 643.259 16.391 1.24 %
Maraã 17507 12558 4521 AM 1.691.042 352.258 26.74 %
Japurá 5281 8002 2283 AM 5.579.148 17.557 1.33 %
Fonte Boa 19726 21412 11633 AM 1.211.091 685.277 52.01 %

Pressões e ameaças

O desmatamento, as queimadas e a mineração industrial, são algumas das pressões que mais ameaçam as Unidades de Conservação. Veja abaixo dados atualizados sobre essas pressões nesta UC; para uma visualização comparativa entre as UCs mais desmatadas na Amazônia Legal, acesse o ranking dinâmico.

Para detalhes sobre a obtenção dos dados, acesse nossa nota técnica.

184.44 ha

Características

Características

FLORA E FAUNA
A fauna encontrada em Mamirauá apresenta um alto grau de endemismo. As difíceis condições criadas pelas enchentes prolongadas a cada ano por um lado limita o número de espécies que consegue sobreviver a tão dramática dinâmica, mas por outro lado propicia o surgimento de adaptações únicas que podem definir especiações e endemismos neste ambiente. Há, também, grupos taxonômicos particularmente distintos, como os peixes, com uma fauna mais diversa que nas áreas circundantes. A presença de importantes espécies de vertebrados ameaçados de extinção também é um fator relevante na fauna de Mamirauá.
(Fonte: http://www.mamiraua.org.br/pagina.php Acesso em: março/2010)

ATRIBUTOS NATURAIS : a maior parte das áreas da reserva tem origem recente, menos de 10.000 anos de idade, no período Holoceno. A região é caracterizada por centenas de lagos, paranás, canos, pequenas ilhas, restingas ao longo dos canais e grandes pântanos que ficaminterligados durante as cheias. Até o momento 499 lagos já foram registrados.
BIODIVERSIDADE : uma das principais motivações para a criação da RDS foi a conservação do Uacari Branco (Cacajao calvus calvus). Na área ocorre também um primata com um dos endemismos mais acentuados da Amazônia, o S. vanzolinii, que só ocorre em Mamirauá. Seus lagos abrigam mais de 300 espécies de peixes, o maior número já registrado para um ambiente de várzea, além de um grande número de aves aquáticas como garças e mergulhões. Mais de 340 espécies de aves, com destaque para o mutum piuri (Crat globulosa), extremamente raro em outros lugares. Mais de 200 espécies de árvores e cipós são conhecidas até o momento. Algumas das maiores árvores da Amazônia estão dentro da reserva, como por exemplo a samaumeira (Ceiba petandra), o assacu (Hura crepitans) e a Munguba (Pseudobombax munguba), espécie típica dos chavascais de Mamirauá. Há ocorrência de espécies ameaçadas, como os quelônios (Podocnemis expansa, P. unifilis e P. sextuberculata) e ainda os felinos como Felix spp, Panthera onça, Leopardus spp. (gato maracajá) e onça pintada (P. onça)
INFRA-ESTRUTURA : Cerca de sessenta comunidades habitam a reserva. O acesso à área pode ser feito por via fluvial ou aérea no trecho Manus/Tefé, e depois fluvial até a reserva. A reseva conta com oito flutuantes de apoio na gestão da área e possui um hotel que recebe turistas e visitantes.
SÓCIO-ECONOMIA : A principal atividade e pexperiência pioneira no Estado é o manejo de uma espécie historicamente muito explorada, o pirarucu (Arapaima gigas). Atualmente, cerca de 450 famílias são beneficiadas com as atividades de manejo e 1000 ton. de pirarucu são comercializados anualmente dentro da reserva.
(Fonte: Unidades de Conservação do Estado do Amazonas. Manaus:SDS/SEAPE, 2007)

População: 6.642 habitantes (4.831 no entorno /1.811 no interior). Características da população: ribeirinhos, pequenos agricultores, extrativistas, pescadores, prestadores de serviço.
Localização: Situada a 600 quilômetros a oeste de Manaus, na confluência dos rios Solimões, Japurá e Auati-Paraná, tendo a cidade de Tefé como principal referência urbana.
Fontes principais de orçamento: governo brasileiro; Cooperação Internacional (Grã-Bretanha); Ipaam; organizações não governamentais internacionais (wcs, eu); Pró-Manejo.
Número de funcionários da uc: 137 funcionários(idsm).
Histórico: Identificação da necessidade de proteção da área por pesquisadores ambientalistas. Decreto Estadual n 12.836/90 de criação da EsEc Mamirauá. Transformação da uc em nova categoria (RDS) demanda dos pesquisadores. Justificativa para transformação da área em rds: viabilização e legalização da permanência da população; participação da comunidade local na gestão e proteção de grandes áreas de floresta.
Cacterísticas pré-existentes: Área de ocorrência de biodiversidade significativa: espécies ameaçadas em extinção. Envolvimento direto de pesquisadores. Disponibilidade de financiamentos.
População organizada. Acordos sociais de manejo dos recursos naturais. Objetivos da RDS: Preservação do patrimônio natural, pesquisa sobre biodiversidade, combate à pobreza.
Situação atual: Plano de manejo (1996) em revisão. Gestão participativa modelo informal. Comunidades organizadas em setores. Deliberações em assembléia gerais. Adaptação ao Snuc conselho gestor em fase de implantação Fundo Nacional do Meio Ambiente.
Envolvimento das comunidades do interior (52) e do entorno (93).
Desenvolvimento de processos de Educação Ambiental.
Impactos decorrentes da RDS: Maior eficácia na proteção da biodiversidade zoneamento participativo. Melhoria da qualidade de vida das populações locais.
Aumento do número de acordos sociais de manejo dos recursos naturais. Incremento das formas de organização social regulação dos usos dos recursos naturais. Aumento de conscientização da comunidade sobre cidadania e aspectos ambientais.
Pontos característicos: Conquistas e resultados muito dependentes de financiamentos contínuos e significativos. Conflitos fundiários pontuais entre locais, proprietários de terras e áreas indígenas. Ocorrência de domínio público e privado. Administração efetiva pela sociedade civil Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.
(Fonte: Reserva de Desenvolvimento Sustentável
Diretrizes para a Regulamentação - WWF-Brasil - maio de 2007)

A Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (RDSM) é um dos sítios brasileiros da Convenção de Ramsar, da ONU, que confere importância a áreas alagadas do mundo inteiro, e juntamente com a RDS Amanã, o PARNA do Jaú e a ESEC Anavilhanas é considerado Patrimônio Natural da Humanidade, pela UNESCO. Insere-se no ecossistema de várzea, que representa 60.000 a 100.000 km² (ou cerca de 5%) de toda a extensão amazônica (Pires 1974), localizada na confluência dos rios Solimões e Japurá, próxima à cidade de Tefé, Amazonas. Sua área total é de 1.124.000 ha, coberta por florestas e outras formações vegetais sazonalmente alagadas. Mamirauá é a maior unidade de conservação em áreas alagadas do Brasil, e a única do país em área de várzea.
A SAZONALIDADE : O alagamento sazonal decorre da variação no nível das águas, cuja amplitude é de cerca de 10 a 12 metros todos os anos, sendo que nos anos em que as cheias são grandes, geralmente entre os meses de maio e junho, toda a RDSM fica sob as águas. O ecossistema de várzea deve sua intensa dinâmica à forte influência do regime de águas. Ele não só afeta fortemente a flora como também a fauna. Além disso, este regime de enchentes e vazantes anuais cria e destrói terrenos com uma velocidade assombrosa. Estes terrenos são colonizados na mesma estação pelas gramíneas e pequenos arbustos e, caso o regime das águas dos próximos anos assim o permita, em pouco tempo as primeiras árvores já estarão estabelecidas. No interior dos habitats terrestres mais definidos e desenvolvidos o regime das águas também causa perturbações naturais, com contínua formação de clareiras rapidamente recolonizadas. A vida na várzea deve estar mais adaptada às alternâncias do que às condições extremas que cada pico sazonal de cheia ou seca proporciona.
A RDS Mamirauá é administrada pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (ISDM), fruto de uma história de mais de uma década de pesquisas científicas, aglutinação dos diversos atores sociais, conscientização sobre a situação da área e formulação de propostas. É uma das UCs com maior volume de conhecimento produzido, embora, por sua complexidade, isso não signifique que seja inteiramente compreendida.
SOBREPOSIÇÃO COM TERRAS INDÍGENAS : Do ponto de vista socioambiental, há pelo menos quatro sobreposições de terras indígenas sobre a área da RDSM, configurando uma situação complexa. De modo geral, há aspectos positivos, de participação dos índios no manejo ecológico - como é o caso das TIs Jaquiri, Marajaí e Cuiú-Cuiú - e aspectos conflituosos, em termos de posicionamento ambiental, identitário e institucional - como no caso da TI Porto Praia.
(Fontes: http://www.mamiraua.org.br / diversos artigos e pesquisas)

Observações

Realizar fiscalização em Unidades de Conservação da RDS Mamirauá e Amanã, de 12 à 26/08/2016.
(DOE AM 29/08/2016)

Fiscalização nas Unidades de Conservação de Mamirauá e Amanã, visando coibir ações ilegais contra o meio ambiente, 07 à 19/06/2016.
(DOE AM 01/06/2016)

Coletar informações sobre distribuição, abundancia e estrutura populacional de jacarés em áreas de reprodução no setor Panauã na Reserva Mamirauá. Acompanhar o Secretário da SEAPAF e equipe que irão conhecer os trabalhos de manejo de jacarés nas comunidades de Fonte Boa, de 14/09 à 02/10/2015.
(DOE AM 15/09/2015)

Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo da RDS Amanã e RDS Mamirauá no município de Tefé, de 13 à 15/05/2015.
(DOE AM 18/05/2015)

Participar e auxiliar na condução das Reuniões do Conselho da RDS Amanã e Mamirauá, de 11 a 16/05/2015.
(DOE AM 07/05/2015)

Apresentar o Projeto de Pesca Esportiva do Piraruci para comunitários do setor Mamirauá, da RDS Mamirauá, 17 a 19/11/2014.
(DOE AM 13/11/2014)

Realizar vistoria em movelarias e planos de manejo florestal comuntário na RDS Mamirauá, no município de Tefé, de 21/10 à 02/11/2014.
(DOE AM 21/10/2014)

Audiência de Justificação Prévia entre moradores do setor Acapú da RDS Mamirauá e o SINDPESCA de Maraã, 28/09 a 04/10/2014.
(DOE AM 29/09/2014)

Acompanhar a Assembléia que irá deliberar sobre o turismo de pesca esportiva no setor da RDS Mamirauá, 05 a 08/09/2014.
(DOE AM 17/09/2014)

Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo da RDS Amanã e RDS Mamirauá, de 25 à 29/08/2014.
(DOE AM 27/08/2014)

Participação de funcionário da SDS em reunião sobre ordenamento pesqueiro e acordo de pesca para a região do Maiana, de 23 - 24/05 (DOE 20/06/2012)

III Reunião Ordinária do Conselho da RDS Mamirauá, situada em Tefé/AM, de 17 a 19/10/2011. (DOE AM 20/10/2011)

XIX Assembléia Geral da Reserva Mamirauá para buscar parcerias para melhor avaliar a qualidade de vida dos povos ribeirinhos.
(DOE AM 02/04/2012)

Reunião com moradores e usuários para organizar a Assembléia Geral (saída servidor - 30maio a 1junho (DOE 20/06/2012)

DOU, 16 de outubro de 2012, sec.1 pg.97
PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO
DO AMAZONAS
PORTARIA No- 4, DE 26 DE SETEMBRO DE 2012
Expediente PA no 1.13.000.001229/2011-
19. Assunto: Comunidades tradicionais.
Conflito fundiário. Síntese: "Apurar eventual
invasão de terras e ameaças de morte
sofridas pelas populações locais da Reserva
de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá,
localizada no Município de Fonte
Boa/AM.". Procurador: 1o Ofício -
PRM/Tefé. Data prevista para finalização:
26/09/ 2013.
O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, por intermédio do
Procurador da República signatário, com fundamento nas disposições
constitucionais e legais,
Considerando que incumbe ao Ministério Público a defesa da
ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e
individuais indisponíveis (art. 127, caput, da CF/88);
Considerando que é função institucional do Ministério Público
promover o inquérito civil público e a ação civil pública para a
defesa de interesses difusos e coletivos, dentre os quais o patrimônio
público e social, do meio ambiente, dos bens e direitos de valor
artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico bem como a proteção
dos interesses individuais indisponíveis, difusos e coletivos,
relativos às comunidades indígenas e tradicionais, à família, à criança,
ao adolescente, ao idoso, às minorias étnicas e ao consumidor (art. 6o,
VII, alíneas "b" e "c" da Lei Complementar no 75/93); Considerando que é função institucional do Ministério Público
expedir notificações nos procedimentos administrativos de sua
competência, requisitando informações e documentos para instruí-los
(art. 129, VI, Constituição Federal e art. 8o, II da Lei Complementar
75/93);
Resolve converter as Peças de Informação no
1.13.000.0012279/2011-19 em INQUÉRITO CIVIL PÚBLICO para
apurar eventual invasão de terras e ameaças de morte sofridas pelas
populações locais da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá,
localizada no Município de Fonte Boa/AM.
Como diligências iniciais, determina-se:
I - seja esta portaria autuada (no início do procedimento) e
publicada nos termos do art. 39 da Resolução no 002/2009/PR/AM, e
comunicada a instauração à douta 6ª Câmara de Coordenação e Revisão
do Ministério Público Federal;
II - seja enviada cópia desta portaria à Assessoria de Comunicação
da PR/AM (Ascom), para afixação no quadro de avisos
desta Procuradoria pelo prazo de 10 (dez) dias e divulgação no site da
PR-AM.
III - seja prorrogado pelo período de 1 (um) ano o prazo de
conclusão deste, conforme disposição do art. 15 da Resolução
CSMPF no 87/2006;
IV - No mérito, seja oficiada a Prefeitura Municipal de Fonte
Boa/AM e a Secretaria do Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento
Sustentável para que se manifestem, no prazo de 15 dias (art.
7o, §5o da Lei Complementar 75/93), acerca das ameaças sofridas pelos
ribeirinhos moradores da Reserva bem como a possível invasão da
área por parte de pescadores ilegais;
V - Determina-se aos servidores atuantes no 1o Ofício que
mantenham contato telefônico com os denunciantes, a fim de acrescentar
maiores detalhes sobre as alegações, bem como se a situação
persiste, tudo certificando nos autos;
VI - Seja remetida à Superintendência da Polícia Federal no
Estado do Amazonas cópias integrais do texto, requisitando a instauração
de IPL para que se apure o caso, se já não houver.
PATRICK MENEZES COLARES
(DOU 16/10/2012)

ESPÉCIE: Acordo de Cooperação Técnica que celebram a União por intermédio do Ministério do Meio Ambiente e o Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.
OBJETO: Contribuição na implantação e funcionamento de Telecentros comunitários no âmbito do Programa Nacional de Apoio à Inclusão Digital nas Comunidades - Telecentros.BR
PROCESSO: 0200.000505/2010-80
VIGÊNCIA: 12 meses
DATAS E ASSINATURAS: 31 de março de 2010, Ministro Carlos Minc, pelo Ministério do Meio Ambiente e Ana Rita Pereira Alves, pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.
(DOU 29/03/2011)

Participação na reunião com a IDS Fonte e Representantes dos moradores da Reserva Mamirauá; Maraã, fazer acompanhamento da despesca do pirarucu e reunião do acordo para exploração de áreas de pesca entre Colpesca Z-32, de 24/10 a 10/11/2010.
(DOE AM 04/11/2010)

Patrimônio Natural da Humanidade: Parna do Jaú, RDS Mamirauá, RDS Amanã e Esec Anavilhanas (Unesco, 2003).

Segundo a Fundação Amazonas Sustentável (www.fas-amazonas.org), responsável pela implementação do Programa Bolsa Floresta, até abril de 2008 havia 994 famílias residentes cadastradas. (Fonte: Informativo Amazonas Sustentável, abril 2008)

Participação na II Reunião Ordinária do Conselho Gestor da RDS Mamirauá, de 8 a 12/09/2010
(DOE AM 03/09/2010 e DOE 27/09/2010)

Entrega de notificações, participação na reunião para resolução de conflitos de pesca e do planejamento da pesca do pirarucú na RDS Mamirauá de 15/08 a 22/08/2010
(DOE AM 20/08/2010)

Fiscalização das atividades de pesca e caça ilegal na RDS Mamirauá de 14 a 23/07.
(DOE AM 09/08/2010)

Extrato de Convênio n 2003CV00003/SCA do Minstério do Meio Ambiente
Objeto: Implementação das atividades inerentes ao Projeto Corredores Ecológicos, Componentes Corredor Central da Amazônia, para a implantação do referido projeto nas Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã.
Processo n 02000.000868/2003-96
Valor concedido: R$ 416.013,10
Vigência: de 7 de outubro de 2003 a 30 de maio de 2004.


Aspectos Físicos

Sobreposições com outras Unidades de Conservação ou Terras Indígenas

Sobreposição Categoria da área sobreposta Porcentagem da sobreposição
Jaquiri TI 0.14
Porto Praia TI 0.32
Acapuri de Cima TI 1.41
Uati-Paraná TI 0.73

Biomas

Bioma % na UC
Amazônia 100.00

Fitofisionomias

Fitofisionomia (excluídos cursos d'água) % na UC
Contato Campinarana-Floresta Ombrófila 100.00

Bacias Hidrográficas

Bacia Hidrográfica % na UC
Japura 100.00

Contatos

Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá
Estrada do Bexiga, n° 2.584 - Bairro Fonte Boa - Cx. Postal 38
CEP: 69470-000 - Tefé - AM
Tel/fax: (97) 3343-4672/2736
Email: mamiraua@mamiraua.org.br
Email da Coordenadora de Manejo Florestal Comunitário: andrea@mamiraua.org.br
Email do Corodenador geral da área de pesquisa: helder@mamiraua.org.br
Site: http://www.mamiraua.org.br

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e de Desenvolvimento Sustentável
Rua Recife, 3280, Parque Dez de Novembro
CEP: 69050-030 - Manaus - AM
Tel: (92) 643.2365
Fax: (92) 642.8898
Emails: corredores@sds.am.gov.br; gabinete@sds.am.gov.br

Centro Estadual de Unidades de Conservação - CEUC (AM)
Av. Mário Ipiranga Monteiro, n° 3280 - Parque 10
CEP: 69050-030 - AM
Email: ceuc@ceuc.sds.am.gov.br
Tel: (92) 3642-4607
Site: http://www.ceuc.sds.am.gov.br


Notícias

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.
Título Data de publicaçãoícone de ordenação
Ibama apresenta modelos de uso sustentavel do mogno e do pirarucu a Comite Cientifico da Uniao Europeia 29/09/2017
Jovens ribeirinhos participam de projeto de conscientizacao do Igarape do Gigante no bairro Redencao 22/08/2017
FAS mostra a outros paises forma sustentavel de exploracao do pirarucu 19/08/2017
Jovens ribeirinhos participam de projeto de conscientizacao no bairro Redencao 17/08/2017
Tamanho de ilha nao e documento para a diversidade na Amazonia 09/08/2017
Quanto mais floresta, maior a riqueza de mamiferos em ilhas fluviais da Amazonia, apontam pesquisadores 07/08/2017
Modelo de estrutura flutuante para o manejo de jacare funcionara com energia solar 03/08/2017
Genoma da onca-pintada e decodificado e joga luz sobre evolucao do maior felino americano 02/08/2017
Pesquisadores explicam como oncas-pintadas sobrevivem em florestas alagadas da Amazonia 02/08/2017
Pirarucu manejado nas Reservas Mamiraua e Amana pode ultrapassar 600 mil kg 31/07/2017
Area em reserva ambiental do Amazonas demonstra potencial para producao de andiroba 27/07/2017
Tecnologias sociais possibilitam acesso a servicos basicos indisponiveis para ribeirinhos do Amazonas, como agua e energia 25/07/2017
Instituto Mamiraua amplia monitoramento da pesca para mais dois municipios do Amazonas 20/07/2017
A biodiversidade amazonica em tempo real 13/07/2017
Tem boi na reserva de Amana 09/07/2017
Pesquisadores avaliam conflitos entre ribeirinhos e jacares na Amazonia 07/07/2017
Onca em arvores contribui para turismo em Mamiraua 06/07/2017
Considerando estrategias de manejo, pesquisadores avaliam conflitos entre ribeirinhos e jacares amazonicos 06/07/2017
Onca-pintada e registrada com novo filhote em unidade de conservacao na Amazonia 19/06/2017
Projeto sobre oncas da Amazonia une ciencia e turismo de observacao 12/06/2017
Projeto BioREC incentiva atividades economicas que reduzem impacto a floresta 20/05/2017
Agentes ambientais de Mamiraua pedem socorro 17/04/2017
A maior onca ja registrada em Mamiraua (mas existem maiores por ai) 07/04/2017
Especies da Amazonia serao monitoradas por sensores em arvores 02/03/2017
Sucesso ignorado 07/12/2016
Expedicoes avaliam situacao de botos e jacares no Amazonas 16/11/2016
Parceria discute implantacao de energia eletrica em UCs 20/10/2016
Operacao combate crimes ambientais nas calhas dos rios Solimoes, Purus e Japura 09/09/2016
Na Amazonia, mais 125 tartarugas sao monitoradas pelo Instituto Mamiraua 01/09/2016
Relatorio aponta que mudancas nas leis ameacam Amazonia 03/07/2016
Manejo de jacares pode ser alternativa economica para ribeirinhos no Amazonas 29/06/2016
No AM, operacao 'Malhadeira' apreende mais de 3,6 toneladas de pescado ilegal 20/06/2016
Dados sobre cadeia produtiva de jacares na Amazonia sao compilados em livro 02/06/2016
Ibama recebe Premio Hugo Werneck por projeto de manejo do pirarucu no Amazonas 08/04/2016
Monitoramento na Reserva Mamiraua (AM) gera dados sobre a dinamica da floresta de varzea 30/03/2016
Rede de parceiros busca solucoes para pesquisas na Amazonia 23/03/2016
Compartilhando Saberes: o novo documentario do Instituto Mamiraua 18/11/2015
Os engenhosos macacos-pregos de Mamiraua 11/11/2015
MMA convida ONGs para compor comite 27/10/2015
FAS leva capacitacao sobre primeira infancia para agentes de saude de Uarini-AM 20/10/2015
Extratores urbanos e manejadores definem acordo de manejo florestal sustentavel na Reserva Mamiraua 01/10/2015
Comunitarios contribuem para conservacao de quelonios amazonicos 29/09/2015
Quando o gelo gera desenvolvimento 24/09/2015
Sim, jabutis sobem em arvores: nadando! 22/09/2015
Alunos ribeirinhos estao em Manaus para troca de experiencias sobre educacao no interior 14/09/2015
Jabuti na floresta inundada: comportamento inedito e registrado por pesquisa do Instituto Mamiraua 11/09/2015
Instituto Mamiraua inicia implementacao de maquina de gelo em comunidade isolada da Amazonia 31/08/2015
Instituto Mamiraua e finalista do Premio Fundacao Banco do Brasil de Tecnologia Social 28/08/2015
Instituto Mamiraua estuda especies madeireiras em areas degradadas da Amazonia 24/08/2015
As ariranhas estao voltando a Reserva de Desenvolvimento Sustentavel Amana 19/08/2015
Unidade de Conservacao no Amazonas tem novos agentes ambientais voluntarios 18/08/2015
Manejo de abelhas para producao de mel e tema de pesquisa 10/08/2015
Pirarucu manejado da Amazonia pode ter garantia de preco minimo 28/07/2015
Jose Melo assina decreto que regula a pesca manejada do pirarucu e torna o Amazonas pioneiro em modelo sustentavel no Pais 23/07/2015
Novas regras de manejo e pesca do pirarucu serao publicadas nesta quinta-feira (23) 23/07/2015
Pesquisadores estudam metodos para identificacao sexual de filhotes de jacare-acu 17/07/2015
Conhecimento ecologico local contribui para analise de abundancia de primatas na Reserva Amana (AM) 15/07/2015
Estudo analisa padroes de crescimento e movimentacoes de quelonios da Amazonia 13/07/2015
Instituto Mamiraua monitora viveiros educativos 13/07/2015
O que e uma Reserva de Desenvolvimento Sustentavel 13/07/2015
"Alfabetizando na Floresta" auxiliara mil criancas no interior do Estado 02/07/2015
Especie de jabuti-amarelo e foco de estudo no Amazonas 22/06/2015
Liderancas comunitarias participam de consulta publica sobre a Lei de Servicos Ambientais do Amazonas 19/06/2015
Mamiraua aposta no turismo de observacao de oncas, no Amazonas 18/06/2015
Projeto Amar para Conservar reune mais de 500 criancas e adolescentes de Uarini 18/06/2015
Modelo de prevencao de conflitos entre felinos e comunidades tradicionais e pesquisado para a Amazonia 17/06/2015
Programa Arpa apoia 105 Unidades de Conservacao 17/06/2015
Sensoriamento remoto auxilia no monitoramento de areas de uso da floresta 12/06/2015
Brasil, Bolivia e Paraguai devem se unir em defesa do Pantanal 11/06/2015
Experiencia bem-sucedida de Turismo de Base Comunitaria do Instituto Mamiraua e apresentada em evento nacional 05/06/2015
As licoes da Reserva de Mamiraua para a protecao da Amazonia 03/06/2015
Amazonia protegida atinge 97% da meta 01/06/2015
Professores participam de oficina de Educacao Ambiental no Instituto Mamiraua 01/06/2015
Programa de manejo do pirarucu vem transformando a vida de familias no interior do Amazonas 24/05/2015
Macacos de Mamiraua: primeira razao de ser da reserva 14/05/2015

Histórico Jurídico

Tipo de documento Número Ação do documento Data do documento Data de publicaçãoícone de ordenação Observação Documento na íntegra
Portaria 48 Instrumento de gestão 14/09/2015 28/09/2015 Aprova a revisão do Plano de Gestão da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (RDS Mamirauá). Download PDF
Portaria 015 Conselho 01/02/2010 05/02/2010 Cria o Conselho Deliberativo da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - RDS Mamirauá. Download PDF
Portaria 009 Conselho 18/01/2010 26/01/2010 Aprova o Regimento Interno do Conselho Deliberativo da RDS Mamirauá Download PDF
Retificação s/n Outros 31/12/2008 31/12/2008 Na Retificação da Portaria No- 22/2006, de 30 de outubro de2008, publicada no D.O.U. 220, de 12 de novembro de 2008, que reconheceu a RDS Mamirauá, localizados nos Municípios de Fonte Boa, Maraã, Uarini, Japurá, Tonantins e Jutaí, onde se lê: "...1000 (mil) famílias de pequenos produtores rurais, leia-se: ... "1.500 (Hum mil e quinhentas) famílias de pequenos produtores rurais".
Retificação s/n Outros 12/11/2008 12/11/2008 Na Portaria INCRA//SR-15/AM/Nº 22, de 27 de setembro de2006, publicada no D.O.U. 189, de 02 de outubro de 2006, que reconheceu a Reserva de Desenvolvimento Sustentável RDS MAMIRAUÀ, localizada nos municípios de Fonte Boa, Maraã, Uarini, Japurá, Tonantins e Jutaí/AM, onde se lê: "...500 (quinhentas) famílias de pequenos produtores rurais"... leia-se: "...1000 (mil) famílias de pequenos produtores rurais".
Retificação s/n 10/10/2008 10/10/2008 Na Portaria No- 22, de 27 de setembro de 2006, publicada no D.O.U. 189, de 02 de outubro de 2006, que reconheceu a RDS Mamirauá, localizado nos Municípios de Fonte Boa, Maraã, Uarini, Japurá, Tonantins e Jutaí, onde se lê: "...500 (quinhentas) famílias de pequenos produtores rurais, leia-se: ... "850 (oitocentas e cinquenta) famílias de pequenos produtores rurais".SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO AMAZONAS
Deliberação 176 Outros 14/02/2007 02/04/2007 O CGENconcede à ESALQ/USP a Autorização n. 008/2007, para acesso ao conhecimento tradicional associado junto a nove comunidades ribeirinhas, nos Municípios de Maraã, Alvarães e Uarini, no Estado doAmazonas, com a finalidade de pesquisa científica, de acordo com os termos do projeto intitulado "Agricultura familiar e dinâmica da diversidade genética da mandioca: o caso dos agricultores das reservas de desenvolvimento sustentável Amanã e Mamirauá, Amazonas", a ser desenvolvido pelo doutorando Kayo Julio Cesar Pereira e coordenado pela pesquisadora Elizabeth Ann Veasey. A ESALQ/USP e os pesquisadores vinculados ao projeto obrigam-se a incluir nos resultados da pesquisa, em quaisquer meios que esta venha a ser divulgada, a informação da origem do conhecimento tradicional associado e a advertência de que o acesso às informações disponibilizadas nos resultados para as finalidades de desenvolvimento tecnológico e bioprospecção necessitam da obtenção da Anuência Prévia e da assinatura de Contrato de Repartição deBenefícios junto à comunidade envolvida e da autorização do Conselho de Gestão do Patrimônio Genético.As informações contidas no Processo n. 02000.002984/2006-92, embora não transcritas aqui, são consideradas partes integrantes deste documento .
Portaria 22 Outros 27/09/2006 02/10/2006 Incra/AM reconhece a RDS MAMIRAUÁ, código SIPRA AM0097000, localizada nos Municípios de Fonte Boa, Maraã, Uarini, Japurá, Tonantins e Jutaí, com área total de 1.332.471 ha, sendo 685.255 ha no Município de Fonte Boa, 352.775 ha no Município de Maraã, 253.378 ha no Município de Uarini, 18.148 ha no Município de Japurá, 18.040 ha no Município de Tonantins e 4.875 ha no Município de Jutaí, visando atender 500 famílias de pequenos produtores rurais;Determina que tal aprovação permite a RDS participar do Programa de Crédito Instalação e de Fortalecimento da Agricultura Familiar - PRONAF, no Grupo A.
Decreto 12.836 Criação 09/03/1990 09/03/1990 Cria a ESTAÇÃO ECOLÓGICA MAMIRAUÁ, com área aproximada de 11.240.00 Km². Categoria alterada para RDS em 1996. Download PDF
Decreto 19.272 Instrumento de gestão 08/09/1998 Aprova o Plano de Manejo da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.
Lei 2.411 Alteração de categoria 16/07/1996 Transforma a Estação Ecológica Mamirauá em Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá. Ficam mantidos na íntegra a localização, os limites e tamanho estabelecidos para a Unidade de Conservação mencionada no caput deste artigo, na forma como originalmente estabelecidos no Dec. Nº 12.836 de 09/03/1990.
Portaria 91 Criação 11/07/1986 Portaria da Secretaria Especial do Meio Ambiente/Ministério do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente declara como Área sob Proteção Especial a região do Lago Mamirauá e a mesopotâmia existente acima da confluência dos rios Solimões e Japurá, no Estado do Amazonas

Vídeos

Ecoturismo de Mamirauá - parte 2
See video

Criada em 1990, como uma Estação Ecológica (ESEC), Mamirauá tinha o objetivo de proteger a rica biodiversidade da região e especialmente o macaco uacari branco que encontrava-se ameaçado de extinçao. Mamirauá teve sua categoria alterada para Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) em 1996 para contemplar o desenvolvimento de seus moradores aliado com a preservação dos recursos naturais da área. A RDS Mamirauá serviu de inspiração para a criação de outras unidades de conservação desta categoria pelo Brasil e se tornou um caso de sucesso. Atualmente, uma das principais atlternativas econômicas para os moradores da RDS é a exploração das potencialidades do turismo sustentável como podemos ver no vídeo.

 

Direção: Ricardo Hanszmann
Ano de produção: 2003

Veja mais: http://www.youtube.com/socioambiental

 

Ecoturismo de Mamirauá - parte 1
See video

Criada em 1990, como uma Estação Ecológica (ESEC), Mamirauá tinha o objetivo de proteger a rica biodiversidade da região e especialmente o macaco uacari branco que encontrava-se ameaçado de extinçao. Mamirauá teve sua categoria alterada para Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) em 1996 para contemplar o desenvolvimento de seus moradores aliado com a preservação dos recursos naturais da área. A RDS Mamirauá serviu de inspiração para a criação de outras unidades de conservação desta categoria pelo Brasil e se tornou um caso de sucesso. Atualmente, uma das principais atlternativas econômicas para os moradores da RDS é a exploração das potencialidades do turismo sustentável como podemos ver no vídeo.

 

Direção: Ricardo Hanszmann
Ano de produção: 2003

Veja mais: http://www.youtube.com/socioambiental

 

Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá
See video

Criada em 1990, como uma Estação Ecológica (ESEC), Mamirauá tinha o objetivo de proteger a rica biodiversidade da região e especialmente o macaco uacari branco que encontrava-se ameaçado de extinçao. Mamirauá teve sua categoria alterada para Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) em 1996 para contemplar o desenvolvimento de seus moradores aliado com a preservação dos recursos naturais da área. A RDS Mamirauá serviu de inspiração para a criação de outras unidades de conservação desta categoria pelo Brasil e se tornou um caso de sucesso. Atualmente, uma das principais atlternativas econômicas para os moradores da RDS é a exploração das potencialidades do turismo sustentável como podemos ver no vídeo.

 

Fonte: WWF Brasil

Direção: Ricardo Hanszmann

Veja mais: http://www.youtube.com/socioambiental



comments powered by Disqus