ARIE Buriti de Vassununga

Informações gerais

Buriti de Vassununga
Área de Relevante Interesse Ecológico
Federal
Uso Sustentável
150 (Decreto - 99.276 - 06/06/1990)
1990

Município(s) no(s) qual(is) incide a Unidade de Conservação e algumas de suas características

Município População (IBGE 2007) População rural (IBGE 2001) População urbana (IBGE 2001) Estado Área do município (ha) Área da UC no município (ha) Porcentagem da UC no município (%)
Santa Rita do Passa Quatro 26456 3772 22366 SP 75.299 0 %

Pressões e ameaças

O desmatamento, as queimadas e a mineração industrial, são algumas das pressões que mais ameaçam as Unidades de Conservação. Veja abaixo dados atualizados sobre essas pressões nesta UC; para uma visualização comparativa entre as UCs mais desmatadas na Amazônia Legal, acesse o ranking dinâmico.

Para detalhes sobre a obtenção dos dados, acesse nossa nota técnica.


Características

Características

A Área de Relevante Interesse Ecológico Buriti de Vassununga está localizada em Santa Rita do Passa Quatro, São Paulo, e possui área de cerca de 151 hectares. A ARIE tem como objetivos a manutenção dos ecossistemas naturais de importância regional ou local e regular o uso admissível dessas áreas, de modo a compatibilizá-lo com os objetivos de conservação da natureza. (Fonte: MMA. Disponível em: http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exi.... Acesso em 12\05\2013)

Observações


Aspectos Físicos

Sobreposições com outras Unidades de Conservação ou Terras Indígenas

Não pertinente.


Contatos


Notícias


Histórico Jurídico

Tipo de documento Número Ação do documento Data do documento Data de publicaçãoícone de ordenação Observação Documento na íntegra
Decreto 99.276 Criação 06/06/1990 O Presidente da República, Fernando Collor de Melo, cria a ARIE Buriti de Vassununga, vizinha à ARIE Pé-de-Gigante.Na ARIE de Buriti de Vassanunga ficam proibidas as seguintes atividades (quando possam danificar o meio ambiente): as competiçõs esportivas; o pastoreio excessivo; a colheita de produtos naturais; a instalação de indústrias; a construção de edificações; quaisquer atividades que impeçam a regeneração das plantas nativas e/ou causem a erosão do solo e o assoreamento do cursos d'água; quaisquer atividades que possam pôr em risco a integridade dos ecossitemas e a harmonia da paisagem.A fiscalização do cumprimento deste decreto poderá ser exercida por órgãos públicos do Estado de São Paulo, mediante convênio, sem prejuízo de ação supletiva do IBAMA.


comments powered by Disqus